Polícia Civil prende em Formosa autor de homicídio contra suposto “segurança” que matou marido de advogada

367

O Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) de Formosa cumpriu nessa quarta-feira (03) mandado de prisão preventiva em desfavor de um suspeito, 29 anos, da prática de crime de homicídio.

O inquérito policial esclareceu os fatos e verificou que o suspeito, motivado pela vontade de fazer justiça com as próprias mãos, no dia 5 de setembro de 2020, dirigiu-se até as proximidades de uma barbearia localizada no Setor Pantanal, em Formosa, em uma motocicleta Honda CB Twister de cor vermelha. Ao chegar no local, ele desceu da motocicleta e foi em direção à vítima, que estava aguardando para cortar o cabelo. A vítima estava presa e tinha saído da Casa de Prisão Provisória de Formosa no dia dos fatos.

Ao descer da motocicleta, o suspeito então sacou uma arma de fogo tipo pistola e efetuou vários disparos de arma de fogo em direção a Edson Mota Costa, 30 anos. Ele foi ferido e ainda tentou correr, mas caiu na porta de uma residência nas proximidades do local, onde foi encontrado sem vida.

O autor, após realizar os disparos – que inclusive acertaram “de raspão” a namorada de Edson – fugiu. Depois disso, ele guardou a arma de fogo em um veículo VW Jetta de sua propriedade e deixou o carro na casa de um vizinho. O veículo e a arma chegaram a ser apreendidos pela Polícia Militar em seguida.

O GIH de Formosa concluiu que o homicídio tem como pivô uma história envolvendo a advogada e ex-esposa do irmão do autor, de nome Gernandy de Jesus Moura. No dia 11 de janeiro do ano passado, às 7h, Edson Mota teria efetuado vários disparos de arma de fogo em direção a Gernandy. Na ocasião, Gernandy foi à residência da advogada – sua ex-esposa – local onde foi baleado e morreu. Todo o crime foi filmado pelas câmeras de segurança da residência. Edson Mota foi indiciado pela prática do crime de homicídio qualificado. Após o fato, ele chegou a ser preso em flagrante pela Polícia Militar pela prática de crime diverso.

No dia em que ele saiu da prisão, o suspeito, irmão de Gernandy de Jesus, conseguiu encontrar Edson e ceifar sua vida, na tentativa de fazer justiça com as próprias mãos. Segundo o GIH, Edson Mota Costa nunca exerceu a função de “segurança” – seja formal ou informalmente – e a arma utilizada à época no crime na casa da advogada era irregular (sem registro).

O inquérito policial foi concluído e será encaminhado ao Poder Judiciário para que o Ministério Público promova a responsabilização penal do autor. O suspeito se encontra recolhido na Casa de Prisão Provisória de Formosa à disposição do Poder Judiciário.