Reviravolta no caso vereadora Roseli: PC de Bom Jesus indicia ex-marido por ser mandante de homicídio

830

A Polícia Civil de Bom Jesus de Goiás, com o apoio do Gruo Especial de Repressão a Narcóticos (Genarc) de Itumbiara, prendeu Vilmar Rodrigues da Rocha, 57 anos, e Joaquim dos Santos, 60 anos, pelo homicídio contra a vereadora Roseli Aparecida de Oliveira. A captura de Vilmar se deu na manhã de quinta-feira (13). A de Joaquim ocorreu no final da tarde do dia anterior. Inicialmente investigado como latrocínio, o caso sofreu uma reviravolta: descobriu-se que Vilmar, ex-marido da vereadora, foi o mandante do crime, o qual foi agenciado por Joaquim mediante paga.

De acordo com o que foi apurado, o suposto latrocínio não passava de uma simulação para esconder um homicídio. A Polícia Civil passou a explorar tal linha de investigações. Várias diligências foram implementadas, bem como medidas cautelares junto ao Poder Judiciário e oitivas de testemunhas, que mostraram a existência de uma ferrenha disputa entre os ex-companheiros a respeito da divisão de bens no divórcio, inclusive com ameaças de morte por parte de Vilmar contra Roseli.

Diante dos indícios, representou-se pela prisão preventiva de Joaquim junto ao Poder Judiciário. Com parecer favorável do Ministério Público, a medida foi decretada e, em seguida, cumprida em Itumbiara. Joaquim confessou integralmente, em vídeo, sua participação no crime. Ele afirmou que teria aceitado a encomenda para a prática do homicídio por parte de Vilmar por R$ 50 mil.

Joaquim indicou aos Ppiciais civis os bens adquiridos com R$ 20 mil recebidos em caráter de adiantamento do mandante, uma vez que havia R$ 30 mil para receber: uma moto, móveis, telefone e pagamento de contas. Esses R$ 20 mil iniciais foram pagos em dinheiro.

De posse dessas informações e a partir da percepção de que os fatos narrados estavam em harmonia com os demais elementos coligidos durante as investigações, a Polícia Civil representou pela prisão preventiva de Vilmar, cujo mandado foi cumprido em sua residência, em Bom Jesus.

Concluídas as investigações como homicídio qualificado mediante paga ou promessa de recompensa, e não mais como latrocínio, o Inquérito Policial será remetido ao poder judiciário. Os presos foram recolhidos ao Presídio local, onde permanecerão à disposição da Justiça.

Durante o cumprimento das determinações judiciais contra Vilmar, foi apreendido um revólver calibre 38, munição nos calibres 32, 38 e 380 além de mais de R$ 10 mil em moeda corrente.

De agora em diante, Nathanael, Rafael e Gilberto, inicialmente autuados e presos por latrocínio, serão indiciados por homicídio qualificado mediante paga ou promessa de recompensa e por este crime responderão junto ao agenciador Joaquim e ao mandante Vilmar.