Homem é preso, em Barro Alto, suspeito de matar parceiro amoroso

121

A Polícia Civil de Goiás, por meio da Delegacia de Polícia de Barro Alto, cumpriu, nesta segunda-feira (25) de outubro, um mandado de prisão temporária em desfavor de um indivíduo de 27 anos, investigado por homicídio.

A vítima, um homem de 54 anos, foi morto no último dia 19 de outubro de 2021, em Barro Alto. Na manhã do dia 20, familiares da vítima procuraram a DP e noticiaram o seu desaparecimento e, desde então, a PC vem investigando o caso.

Segundo testemunhas, no dia 19, por volta das 18h, a vítima entrou no carro do investigado, com quem ele mantinha um relacionamento amoroso há 05 anos, aproximadamente, às escondidas.

Os familiares, por volta das 22h, ligaram para a vítima, que não atendeu. Desconfiados de que o investigado pudesse ter feito algum mal ao homem, ligaram para o suspeito, que não passou informação alguma sobre o paradeiro da vítima. O investigado desligou o celular e não foi mais visto na cidade.

Após o crime, o suposto autor abandonou o veículo na saída para o Distrito de Laguna. A perícia criminal encontrou sangue humano no interior do veículo.

As investigações ainda apuraram que no último dia 28 de agosto, o suposto autor tentou matar a vítima, desferindo um golpe de faca em sua região abdominal, que causou a perfuração do seu intestino.

Na época dos fatos, os familiares questionaram a vítima sobre o que tinha acontecido, mas ele não respondeu. Depois, descobriram mensagens entre a vítima e o suspeito que demonstravam que o responsável pela facada era o investigado.

De acordo com as investigações, o suspeito, após o crime, jogou o corpo da vítima de uma ponte no Rio dos Patos. O corpo foi localizado pela Polícia Civil, com apoio do Corpo de Bombeiros de Goianésia, na tarde do dia 22 de outubro.

O suspeito, com seu advogado, se apresentou à Polícia na manhã desta segunda-feira (25).

Em seu interrogatório, ele disse que no dia dos fatos os dois discutiram porque a vítima exigia que ele terminasse com sua atual namorada. A discussão evoluiu para agressões físicas, então o investigado desferiu golpes com um canivete na vítima – alegou legítima defesa. Referente à tentativa de homicídio ocorrida no final de agosto, ele se manteve em silêncio.

Ele foi recolhido ao presídio local, e está à disposição do Poder Judiciário.