Exames papiloscópicos confirmam que idoso usava identidade falsa para tentar aplicar golpe em banco

659

Um idoso foi preso no dia 16 de agosto na Central Geral de Flagrantes de Goiânia depois de tentar aplicar um golpe em uma agência do Banco do Brasil, onde tentou descontar um cheque no valor de R$ 28 mil apresentando uma identidade falsa. Funcionários do banco ligaram para o titular da conta que negou ter realizado a emissão do cheque. A Polícia Militar foi acionada e conduziu o home à Central, onde o mesmo foi submetido a exame papiloscópico que comprovou a falsificação do documento.

Em entrevista ao papiloscopista policial Juliano Rocha, o conduzido se identificou como sendo José de Oliveira da Silva, corroborando a hipótese de serem falsos os dados contidos no documento de identidade apresentado, em nome de Paulo Parralego. Na sequência, foram coletadas suas impressões digitais. Realizada a pesquisa no sistema Goiás Biométrico das impressões digitais coletadas, quatro registros civis foram localizados, em nomes de José de Oliveira da Silva, Alberto Ferraz de Souza, Arnaldo Oliveira da Silva Neto e Luiz Alves da Silva. Nessa pesquisa, foi localizado também o cadastro criminal do indivíduo, onde constam os delitos de estelionato e falsificação de documentos públicos.

Após a análise dos dados contidos na carteira de identidade apresentada ao gerente do Banco do Brasil, verificou-se que não havia no banco de dados do Instituto de Identificação da Polícia Civil do Estado de Goiás qualquer pessoa de nome Paulo Parralego, porém o número de registro civil existe e pertence a uma mulher. O Instituto de Identificação Civil informou que a digitalização do processo de registro civil quer tornar inviável que uma pessoa solicite o documento de identidade com dados provenientes de certidões “frias”, evitando que crime semelhantes se repitam.