Grupo de Elite da Polícia Civil resgata criança ameaçada de morte por homem drogado

419
Policiais do Grupo de Elite da Polícia Civil, o GT3: sucesso no regate da criança de 3 anos ameaçada com faca por homem sob efeito de droga, em Jataí

Após quase cinco horas e utilizando uma arma não letal, integrantes do Grupo Tático da Polícia Civil (GT3)conseguiram render ontem (08.02) um homem que fazia refém um menino de 3 anos na rodoviária de Jataí, na Região Sudoeste do Estado. Natural de Iaciara, Anderson Gonçalves Lima, de 30 anos, estava na cidade há quatro dias e, sob o efeito de crack, escolheu a vítima aleatoriamente. A criança foi libertada sem ferimentos.

Por volta das 7 horas, o homem tomou a criança das mãos da avó, que havia acabado de chegar de Uberlândia (MG) e se preparava para embarcar rumo a Cassilândia (MS), onde visitaria familiares. Com uma faca, Anderson ameaçou matar o menino e se refugiou no almoxarifado da estação rodoviária. Comandada pelo delegado André Fernandes de Almeida, uma equipe da Polícia Civil iniciou as conversas com o sequestrador, que tinha alucinações e falava coisas sem sentido.

De helicóptero, uma equipe do Grupo Tático da Polícia Civil (GT3) se deslocou de Goiânia até Jataí para ajudar no desfecho do sequestro. Cerca de 50 pessoas das Polícias Civil, Militar, Federal e Rodoviária Federal, além de psicólogos e de um juiz participaram da operação. Cinco atiradores de elite se posicionaram em locais estratégicos do prédio. Anderson, que achava que policiais sairiam de dentro das paredes, chegou a exigir um carro, dizendo que seguiria com a criança para a capital. Atendentes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e do Corpo de Bombeiros também permaneceram de prontidão.

Anderson Gonçalves agiu sob efeito de crack

Distração

O desfecho aconteceu quando o delegado André Fernandes de Almeida distraiu o sequestrador pedindo para que ele deixasse a criança se sentar em uma cadeira. No momento em que Anderson se levantou, os policiais efetuaram um disparo com arma de eletrochoque – pistola Taser – no seu peito . Anderson, que já cumpriu pena por roubo, furto e tráfico de drogas em Mato Grosso, foi encaminhado para a cadeia local e responderá por tentativa de homicídio qualificado e cárcere privado.

 

Fonte: O Popular
Texto: Fernando Machado
Fotos: Mais Goiás
Ilustração: O Popular

Publicado pelo Delegado de Polícia Norton Luiz Ferreira – Assessor de Comunicação da Polícia Civil