Vítima carbonizada: Autores de homicídio são identificados e presos em Morrinhos

628
homicidio_homo_morrinhos
Waleff Henrique e Valdineio Santos

Os autores da morte de João Chaves Neto, de 22 anos, cujo corpo foi encontrado no dia 23 de janeiro, queimado e abandonado em um lixão de Morrinhos, foram identificados e presos no dia 28 de janeiro. Waleff Henrique Menezes dos Santos, de 19 anos, e Valdineio Santos Ferreira, de 32 anos, foram presos em cumprimento aos mandados de prisão e busca domiciliar expedidos pelo Poder Judiciário.

De acordo com as investigações, o crime ocorreu na noite do dia 21 de janeiro. Nesta data, Waleff Henrique e Valdineio Santos se deslocaram para Piracanjuba, onde a vítima foi abordada e levada para a cidade de Morrinhos. João Neto e Waleff haviam tido um relacionamento amoroso, que terminou recentemente. Waleff teria ameaçado João de morte por não se conformar com o término da relação.

Para se vingar do ex, Waleff teria furtado os pertences da vítima em sua residência, em Piracanjuba, no dia 27 de dezembro do ano passado. No dia 21 de janeiro deste ano, ele teria resolvido dar continuidade ao plano de vingança, roubando o veículo da vítima e a matando em seguida. Os autores foram, então, para a cidade vizinha, a fim de colocar em prática o plano do assassinato.

No dia do crime, Waleff e Valdineio seguiram de moto para Piracanjuba. Waleff ligou para o ex e marcou um encontro e, em seguida, pediu a João que o levasse até a saída da cidade. Sem desconfiar das intenções de Waleff, João Neto deu a carona. No local combinado, Valdineio os aguardava.

carro vitima
Carro da vítima

Quando o veículo chegou ao local pré-estabelecido, Valdineio deu voz de assalto para a vítima, que foi retirada do carro e agredida com golpes de macaco. Em seguida, os autores colocaram a vítima desacordada no porta-malas e seguiram para Morrinhos. Valdineio assumiu a direção do veículo e Waleff deslocou-se na motocicleta em que haviam ido para Piracanjuba.

Chegando em Morrinhos, Valdineio abandonou o corpo de João Neto em uma estrada vicinal, conhecida como estrada do “Sim” e encontrou-se novamente com Waleff, que o aguardava em sua residência. Naquele local, tomaram a decisão de atear fogo no corpo da vítima e no veículo, que estaria danificado e não serviria para venda. Antes, porém, levaram o pneu estepe e outros pertences da vítima.

Na manhã do dia 22 de janeiro, o veículo foi encontrado queimado e, no dia seguinte, o corpo de João Neto foi localizado às margens da estrada, parcialmente carbonizado. As investigações chegaram ao fim em 28 de janeiro, com a prisão dos acusados, com os quais foram achadas roupas com manchas de sangue, utilizadas na data do crime, além de objetos roubados da vítima, que estavam na residência de Valdineio.

Texto: Assessoria de Imprensa da Polícia Civil
Foto: Polícia Civil / Morrinhos