Genarc, de Formosa, responde positivamente à sociedade com a prisão de dois traficantes

375
Gutemberg Natan dos Santos, 20 anos

Na manhã da última sexta-feira, dia 12/04, Policiais Civis do Grupo Especial de Repressão a Narcóticos- GENARC, de Formosa, prenderam Gutemberg Natan dos Santos Sales, de 20 anos. Gutemberg foi preso em flagrante no quintal da casa de sua mãe. Com ele, foi encontrado um revólver calibre 38 municiado, mais três munições e uma porção de crack. A arma, as munições e droga estavam em uma pochete carregada pelo conduzido.

Verificou-se ainda que contra Gutemberg constavam três Mandados de Prisão por crimes de homicídio, expedidos pelo Juízo da 1ª Vara Criminal da Comarca de Formosa, cautelares cumpridas na Delegacia de Polícia durante a lavratura do Auto de Prisão em Flagrante. Em que pese a nova atribuição do Genarc, da 11ª Delegacia Regional, a investigação de homicídios consumados na cidade de Formosa, o combate ao tráfico de drogas e armas não ficam em segundo plano, sendo a ação de hoje mais uma resposta à sociedade formosense e a garantia de uma arma de fogo a menos circulando nas mãos de criminosos.

O Delegado Vytautas Zumas, coordenador do GENARC, parabeniza aos membros do Grupo que não esmaeceram com a mais nova atribuição e se dedicam diuturnamente no cumprimento do seu dever.

                                  Traficante de drogas

Após 40 dias de investigações, os Policiais Civis do Genarc, de Formosa, também prenderam o conhecido traficante Sebastião Silva Batista, 36 anos, vulgo  Tião da Doze. No dia 26 de fevereiro de 2013, o GENARC encontrou mais de um quilo de crack e duas balanças de precisão em uma casa no Bairro Lagoa dos Santos, em Formosa. Desde então as investigações foram levadas a efeito e apontaram Tião da Doze como o proprietário da droga e das balanças.

Representou-se então por um Mandado de Prisão Preventiva, ordem esta expedida pela 2ª Vara Criminal da Comarca de Formosa, cumprida pelos integrantes do grupo. Em 2010, Tião da Doze foi flagrado com cerca de 20 quilos de maconha. Na oportundiade, ele foi condenado a mais de dez anos de reclusão e respondia o processo em liberdade por excesso de prazo. A prisão dele na sexta é  a sétima por tráfico de drogas. Tião da Doze vem se mantendo da traficância de drogas desde 1998, quando foi preso pela primeira vez.