Policiais Civis de Caldas Novas prendem acusado de matar e atear fogo no corpo de amante

413

Segundo a polícia, vendedor queria acabar relacionamento extraconjugal. Vítima estava desaparecida desde o último dia 22, em Caldas Novas.

Um vendedor de 24 anos foi preso nesta quinta-feira (25) em Caldas Novas, na região sul deGoiás, suspeito de matar a amante e atear fogo no corpo. De acordo com a Polícia Civil, a vítima estava desaparecida desde o dia 22, quando foi vista pela última vez entrando no carro do homem.

Ainda segundo a polícia, em um primeiro depoimento, o suspeito negou qualquer participação no crime. No entanto, após ser confrontado com indícios apurados pelo delegado Pedro Garcia Caires, responsável pelo caso, ele acabou mudando a versão e confessou o crime. O corpo foi localizado nesta tarde.

A motivação do assassinato seria o término do relacionamento extraconjugal, mantido entre o vendedor e a vítima, uma camareira de 41 anos. O homem, que é casado há oito anos e tem dois filhos, disse em depoimento que conheceu a amante há quatro meses. “De lá para cá, se encontravam às escondidas. Porém, a esposa do vendedor acabou descobrindo a traição e ameaçou sair de casa. Desesperado, ele garantiu que encontraria a camareira pela última vez para colocar um ponto final no caso”, informou o delegado.

Segundo o depoimento do suspeito, ele tentou por várias vezes terminar com a amante, mas ela insistia em continuar com os encontros e ligava constantemente para ele, inclusive durante o horário de trabalho.

O homem encontrou a amante, então, no último dia 22. Segundo a polícia, eles seguiram até um matagal, onde iriam manter relações sexuais. No entanto, após uma discussão, o vendedor pegou uma corda no carro e estrangulou a vítima. Depois, seguiu até o centro deCaldas Novas, onde comprou dois litros de gasolina. “Aí voltou, despejou o combustível sobre a mulher e ateou fogo”, contou o delegado.

A Justiça decretou a prisão preventiva do vendedor e ele segue na Delegacia de Polícia Civil de Caldas Novas.

Fonte: G1 Goiás
Texto: Fernanda Borges