Livro Mulheres de Delegacia: Conheça a história da Delegada Adriana Ribeiro de Barros

996

Sempre sonhei em ser uma profissional da área jurídica

Adriana Ribeiro de Barros

Natural de São Paulo e com meus pais nascidos em Morrinhos, sou a filha mais velha de uma família de três irmãos. Sou mãe de dois filhos e moro em Goiânia há trinta e cinco anos.

Conclui meus estudos no Colégio Ateneu Dom Bosco, onde fiz várias amizades, dentre elas com a Delegada Geral da Policia Civil, Adriana Accorsi, e a Delegada Titular da Mulher Karla Fernandes Guimarães. Fiz o curso de Direito na Pontifícia Universidade Católica de Goiás – PUC/GO. Sou pós-graduada em Direito Penal e Processo Penal, tenho curso de especialização em Gerenciamento e Segurança Pública e atualmente faço mestrado em Direito e Relações Internacionais pela PUC/GO.

Advoguei por aproximadamente um ano depois de formada e decidi então prestar concurso para Delegada da Policia Civil do Estado de Goiás. Fui nomeada em agosto do ano de 2000. Iniciei minha carreira como delegada na cidade de Novo Gama, como plantonista onde fiquei aproximadamente um ano. Em seguida fui nomeada para o cargo de delegada adjunta e titular de Luziânia, onde fiquei por quatro anos e aprimorei meus conhecimentos investigativos.

Em 2005, fui convidada a assumir e ser a primeira delegada de polícia adjunta da Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos, até então composta apenas por delegados. Depois de um ano fui convidada a fazer parte da Corregedoria da Polícia Civil, onde permaneci por dois anos. Passei por mais algumas delegacias até chegar a Delegacia de Homicídios, um sonho antigo que cultivei durante anos, procurando me aprimorar através dos desafios enfrentados e experiência adquirida para poder, hoje, coordenar o trabalho de cerca de setenta policiais civis. A frente desta especializada, desvendei casos de repercussão nacional.
Delegada de Policia por vocação, considero- me realizada profissionalmente em comandar nos dias de hoje a delegacia mais atuante no combate a criminalidade do Estado de Goiás e a segunda no País, na elucidação de crimes.