Conheça a história da Delegada Dilamar A. de Castro Souza no Livro Mulheres de Delegacia

731
Delegada de Polícia Dilamar de Castro

“Acredito que o sucesso se deve sempre a seriedade e dedicação em cada caso que tenho que resolver.”

Minha carreira na Polícia Civil iniciou-se em 2004, como adjunta da Delegacia de Águas Lindas, onde estive até novembro de 2011. Simultaneamente, entre 2004 e  2005, assumi as Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher e de Apuração de Atos Infracionais na cidade de Luziânia. Ambas as cidades situadas no entorno do Distrito Federal.

 Inúmeros  foram os desafios que tive  e tenho que enfrentar. Até entrar para a Polícia Civil de Goiás não me imaginava chefiando equipes de investigação, realizando operações,  e o mais difícil, não me imaginava portando uma arma de fogo. No inicio, o preconceito parecia intransponível, mas aos poucos fui superando. Não posso dizer que ainda hoje não sofra, mas aprendi a lidar com estas questões. Ao longo dos anos,  solucionei juntamente com minha equipe vários crimes, ganhando a confiança da população.

 Acredito que uma das características marcantes do meu trabalho é ser firme nas minhas decisões, pautar minha conduta profissional no ordenamento jurídico. Quando no início de 2005 fui convidada a implantar a Delegacia da Mulher em Luziânia, senti que teria pela frente novos desafios . Iniciamos em duas salas no prédio da Delegacia Regional. Logo  os resultados vieram e conseguimos junto a administração municipal uma sede para a DEAM/DEPAI.

 Tenho orgulho e tranqüilidade  em dizer que sou respeitada pela população de Luziânia e cidades vizinhas pois, além do trabalho técnico na Delegacia, realizo palestras em escolas, igrejas e repartições públicas e particulares, concedendo entrevistas aos meios de comunicação, levando ao conhecimento de todos o trabalho da DEAM/DEPAI, esclarecendo  sobre a Lei Maria da Penha e o Estatuto da Criança e do Adolescente. Realizo ainda campanhas para arrecadação de donativos para os mais carentes, onde o sucesso é o reflexo da confiança da população em meu trabalho! Ao longo dos anos são incontáveis os casos solucionados que ganharam a mídia nacional.

 No final de 2005, recebi o titulo de cidadã luzianiense em reconhecimento ao trabalho realizado em prol da sociedade,  também recebi várias homenagens de instituições locais. Hoje posso  afirmar que o preconceito esta superado. Perante a sociedade, como mulher e profissional sou respeitada!