Crime sem sucesso: Presa quadrilha suspeita de sequestro de um casal em Itumbiara

471

Cinco membros da quadrilha presa pela Polícia Civil

Uma ação da Polícia Civil colocou fim ao mistério que envolvia o sequestro de um casal em Itumbiara (GO). Na madrugada de terça-feira (15/10), cinco pessoas foram presas suspeitas de participar do crime. Depois de dois dias mantidas em cativeiro, as vítimas foram resgatadas e passam bem.

O caso aconteceu na noite de domingo (13). Um grupo teria invadido a residência das vítimas e levado o homem, de 60 anos, e sua esposa, de 46, no veículo que estava na garagem, uma Nissan Frontier. Os suspeitos chegaram a ligar para os familiares pedindo resgate em dinheiro. De acordo com o delegado regional Ricardo Chueire, um depósito no valor de R$ 5 mil foi realizado durante as negociações.

                                         Investigações

“Nossa equipe investigava um grupo conhecido aqui em Itumbiara por praticar assaltos. Durante as investigações, desconfiamos que eles poderiam estar envolvidos no sequestro”, disse o delegado em entrevista ao jornal A Redação.

A equipe policial passou a monitorar dois dos suspeitos, Guilherme Augusto Lourenço Silva, de 19 anos, e Macks Alander Eurípedes Oliveira, de 26 anos. A dupla foi seguida pela polícia até o município de Morrinhos (GO). Denner Silva Amorim e Weverton Igor Silva Campos, ambos de 19 anos, também estavam a bordo do veículo investigado, um Omega.

Os suspeitos foram detidos em uma barreira da Polícia Rodoviária Federal (PRF), que encontrou objetos pessoais do casal sequestrado, como relógio, anel de ouro e celular. Além disso, foi apreendido um revólver calibre 38, com numeração raspada.

Documentos, arma e celulares apreendidos

“Tudo indica que o crime foi premeditado. Para nossa surpresa, o mandante seria Weverton Lourenço (20 anos), que está preso. De dentro do presídio, ele passava as instruções para os comparsas através de um celular”, comentou o delegado.

As vítimas foram encontradas por outra equipe policial, caminhando a pé às margens da BR-153, próximo a um posto de combustível. Segundo o delegado, elas teriam sido libertadas do cativeiro, uma residência em Morrinhos (GO), e buscavam por ajuda. “O cativeiro em outra cidade pode ter sido uma estratégia para tentar dificultar nosso trabalho investigativo”, argumenta Ricardo Chueire.

                                                Depoimentos

Durante depoimento, as vítimas contaram detalhes do sequestro e alegaram que não sofreram agressões físicas. Os suspeitos, de acordo com o delegado, foram reconhecidos pelo casal, mas negam envolvimento no crime. O veículo roubado ainda não foi encontrado.

Dos detidos, Macks Alander e Guilherme Augusto não tem passagem pela polícia. Denner Silva já teve passagem por assalto, enquanto Weverton Silva por formação de quadrilha e assalto.

Fonte: Site A Redação
Texto: Mônica Parreira
Foto: Polícia Civil