Curandeiro de 73 anos preso pela Polícia Civil em Jataí estuprava as suas clientes

591

Manoel Garcia Leles, de 73 anos, foi preso, ontem (16.01), suspeito de abusar sexualmente de três mulheres em Jataí, a 327 quilômetros de Goiânia. Segundo informações da Polícia Civil o idoso é uma espécie de curandeiro e abusava com suas vítimas enquanto elas estavam desacordadas, em transe. Ele justificou em depoimento que o sexo validava o ritual espiritual.

Delegada de Polícia Paula Meoti: Titular da DEAM

Conhecido na cidade como Manoel Benzedor, por promover supostas curas, em pessoas, por meio de rezas e feitiçarias, foi preso após denúncia de três de suas supostas vítimas. Os abusos teriam sido praticados há pelo menos três anos. Segundo a delegada titular da Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) de Jataí, Paula Meotti, que investiga o caso, o acusado tratou espiritualmente, por quatro anos, de quatro membros de uma mesma família.

Segundo relato das vítimas, mãe e filha teriam sido abusadas sexualmente por ele. A menina, à época, com 14 anos, em seu relato, disse que o curandeiro fazia grande parte das rezas em seu barracão, na região Norte da cidade. Outra parte do ritual era ministrada em um matagal próximo ao aeroporto da cidade.

Segundo a delegada, com base no depoimento da jovem, ele, no matagal, pedia para que ela se despisse e então besuntou seu corpo com um óleo especial, que segundo ele, era necessário para dar mais poder de cura à reza. Também passou uma solução no rosto da jovem que a levou a desfalecer. O mesmo ritual teria se repetido algumas vezes, mas num deles, a menina despertou e viu o homem sobre seu corpo em pleno abuso sexual.

A jovem, estranhou e resolveu relatar à sua mãe o ocorrido. A mãe também confirmou que tinha sido submetida ao mesmo tratamento espiritual, com abusos. A menina, ainda em relato à delegada, disse que numa das ocasiões, o curandeiro teria colocado sementes no pênis e ameaçado introduzí-las em sua genitália.

Pessoas buscavam os tratamentos espirituais de Manoel Garcia Leles para superar problemas financeiros, encontrar um bom emprego, resolver conflitos familiares, ter sucesso no amor ou boa saúde. “Uma das vítimas estava com problemas no casamento e buscou o acusado para ele segurar o marido dela”, disse a delegada.

De acordo com ela, as investigações começaram há cerca de um ano, depois da denúncia feita pela mãe e filha. “Foi quando a família migrou para uma Igreja Evangélica. Durante o sermão do pastor, eles se deram conta de que a prática curandeira não era adequada às suas novas crenças espirituais e ao comportamento dos fiéis daquela igreja, e resolveram, com o apoio do pastor, denunciar o caso”, afirmou.

Com a denúncia, uma outra vítima buscou a delegacia, dizendo ter passado pelo mesmo tratamento espiritual. A delegada acredita na possibilidade de haver outras vítimas do curandeiro na cidade e espera que elas o denunciem. De acordo com a delegada, Manoel Benzedor nega as acusações feitas e diz que se fosse mesmo um estuprador, não teria ficado na cidade, mas tentado escapar da policia.

pai e filho

Além da jovem e de sua mãe, também se consultaram com o curandeiro, pai e filho, mas a delegada disse que eles, nos depoimentos, disseram que não passaram pelo mesmo tratamento, pois não lhes foi solicitado despirem-se ou fazerem caminhadas com ele pelo matagal, local onde ocorreram os estupros.

A delegada disse que o acusado responderá por abuso sexual mediante fraude e também atentado violento ao pudor mediante fraude, este último, já modificado no novo código penal, mas ainda válido neste caso, pois o crime foi cometido antes da revisão. O curandeiro foi recolhido na delegacia da cidade por medida preventiva. “Ele deve pegar de seis a oito anos”, finalizou.

 

Fonte: Diário da Manhã
Texto: Joaquim Munduruca
Ilustração: Google