Deam de Goianésia prende autor de largo histórico de agressões contra ex-companheira

319

IMG_5132A Delegacia da Mulher de Goianésia cumpriu Mandado de Prisão Preventiva em desfavor de um homem de 42 anos pelo reiterado descumprimento de medidas protetivas de urgência, agressões físicas e ameaças contra a vítima, sua ex companheira. A ação se deu na quarta-feira (08).

De acordo com as investigações, a vítima sofre com comportamento violento do acusado, pelo menos, desde 2014. No mês de maio desse ano, ele foi preso em flagrante pelos crimes de lesão corporal, injúria e ameaça. Em junho de 2014, foram deferidas medidas protetivas de urgência em seu desfavor que, entre outras restrições, impôs o afastamento do autor.

Em Julho de 2014, o acusado foi novamente preso em flagrante em delito por ameaçar de morte sua então companheira e violar seu domicílio, descumprindo assim a medida protetiva de urgência. Naquela ocasião, a delegada da Mulher de Goianésia, Poliana Bergamo, representou pela conversão da prisão em flagrante em prisão preventiva, o que foi acatado pelo Poder Judiciário.

IMG_5130

Porém, ao ser posto em Liberdade, o acusado e a vítima reataram o relacionamento. Esta retratou da representação (“retirou a queixa” ). No entanto, em abril de 2016, o companheiro novamente agrediu a mulher, quebrando-lhe o braço. Em sua oitiva, a vítima relatou que foi agredida com um pedaço de madeira e que o companheiro desferiu vários golpes em seus braços, pernas, cabeça e tronco, só tento cessado as agressões porque acreditou ter matado a mulher, que desmaiou.

Em janeiro deste ano, a vítima procurou novamente a Delegacia da Mulher, noticiando que seu ex-companheiro, ao sair da prisão, havia voltado para a residência contra sua vontade e se recusava a sair, mesmo existindo medida protetiva obrigando-o afastar do lar. Também narrou que estava sendo ameaçada de morte pelo ex-companheiro.

Assim, considerando todo histórico de violência física e psicológica, e o reiterado descumprimento das medidas protetivas de urgência, a Delegada representou pela decretação da prisão preventiva do agressor.

No dia anterior a sua prisão, o companheiro jogou um pó de coloração azulada por toda a casa. Ao chegar na residência, a vítima sentiu coceiras pelo corpo e acionou a Polícia Militar. A Delegada acionou a Perícia criminal e está aguardando o resultado.

“As Marias”
Poliana ressalta a importância do trabalho do grupo “As Marias” no enfrentamento à violência contra a Mulher: “Observamos que a atividade policial isolada mostrou-se insuficiente: a mulher vítima não conseguia, por razões diversas, romper o ciclo de violência a que estava submetida e romper o relacionamento com o agressor. Com intuito de enfrentar esse problema”, relata.

A delegada ressalta ainda as características interdisciplinares do grupo. “criamos o grupo As Marias, composto por uma equipe de multiprofissionais – psicólogos, médicos, nutricionistas, assistentes sociais e advogados – que amparam e auxiliam diretamente a Mulher vítima de violência. O trabalho é realizado por meio de um processo de empoderamento individual e social da Mulher, pois, sem dúvida, a Mulher empoderada, conseguirá compreender e romper o processo de violência a que foi submetida”, explica.

Maiores informações do Grupo “As Marias” no facebook “Delegacia da Mulher de Goianésia” e no instagran @deamgoianesia ou procure a Delegacia da Mulher.