Deic apresenta investigado que confessou latrocínio de motorista do Uber

344
IMG_8727
Carlos Carmesino (de branco) confessou o latrocínio

A Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic) realizou a apresentação de Carlos Carmesino Santos de Lima, 18 anos, investigado como autor do latrocínio cometido contra Antônio Paulo Oliveira da Silva, 32 anos, a 8 de março. Preso por policiais militares em Senador Canedo, Região Metropolitana de Goiânia, no sábado (25), Carlos foi apresentado na manhã de terça-feira (28).

De acordo com a delegada Mayana Rezende, que apresentou o caso à imprensa, Carlos confessou a prática do latrocínio, além de tê-lo cometido em companhia de menor infrator já apreendido. A autoridade policial relatou que os Carlos e seu comparsa teriam abordado a vítima na Praça Universitária. “Eles pretendiam roubar o automóvel da vítima, uma vez que pretendiam ir a uma festa em Senador Canedo”, descreve.

IMG_8701
Delegada Mayana Rezende

Ao renderem Antônio Paulo, Carlos e o comparsa se dirigiram a uma via no Aruanã Park, em Goiânia. Na localidade, desferiram uma facada na perna da vítima, que estava amarrada pelas mãos. Em uma região de matagal, o motorista foi esfaqueado novamente na região do tórax, não resistindo aos ferimentos. Carlos Carmesino afirma se lembrar de ter desferido quatro facadas contra a vitima.

Carlos alegou não ter intenção inicial de dar cabo à vida de Antônio Paulo. Ele afirma ter assassinado o motorista devido ao fato de este ter reagido e ameaçado as vidas dele e de seu comparsa menor de idade. A Polícia Civil questiona a versão do investigado. “Eles tiveram todas as oportunidades para simplesmente deixar a vítima com vida às marges de uma via com pouca circulação de pessoas, se a intenção fosse somente a de praticar o roubo”, argumenta a delegada Mayana.

IMG_8721

Além do latrocínio que vitimou Antônio Paulo Oliveira, Carlos Carmesino confessou ainda ter praticado um ato infracional análogo a homicídio em 2013, quando ainda era menor de idade. Ele alega tratar-se a vítima de um traficante de Senador Canedo conhecido como David. A motivação para o crime se deveu, de acordo com Carlos, ao fato de David supostamente tê-lo ameaçado de morte.

IMG_8717
Matheus Noleto, delegado titular do GIH de Senador Canedo

De acordo com o delegado titular do Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) de Senador Canedo, Matheus Noleto, será verificada a existência de inquérito no qual apareçam as características apontadas por Carlos em sua confissão.