Delegacias da Polícia Civil passarão a fazer atendimento no modelo adotado no Vapt Vupt

545

O 8º DP será o primeiro a adotar o padrão Vapt Vupt de atendimento

O Governo de Goiás está investindo para humanizar o atendimento nas Delegacias de Polícia. Além das reformas de mais de 30 unidades em todo o Estado, alguns distritos policiais serão adequados no Padrão Vapt Vupt. O 8º Distrito Policial de Goiânia será o primeiro contemplado. De janeiro a julho deste ano o DP registrou 8.492 ocorrências, sendo 1.232 somente em julho. O objetivo da reestruturação é propiciar mais conforto e melhor atendimento à população.

“Nós vemos de bom grado esse padrão que vai atender a população com melhor qualidade”, comenta o delegado-geral, João Carlos Gorski. Inicialmente, o padrão será implantado nas unidades que funcionam 24 horas (8º DP, 1º DP, 5º DP, 20º DP e Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) em Goiânia, uma de Aparecida de Goiânia e outra de Anápolis). A expectativa é que a iniciativa seja ampliada para as demais unidades do Estado.

O espaço e estrutura das delegacias mudarão. Haverá uma sala de espera para a população que busca a Polícia Civil. Os policiais passarão por treinamento relativo a atendimento ao público.

Delegado Geral João Carlos Gorski

A maioria das delegacias goianas foi construída na década de 80. Não há um padrão nos prédios. Algumas edificações, tais como casas comuns, foram adaptadas para o uso policial. Hoje, presos, suspeitos, testemunhas e vítimas dividem o mesmo espaço. “A maior parte das delegacias não é adequada. Foram construídas na década de 90 em prédios que não são apropriados para o trabalho da Polícia Civil. E esse Padrão Vapt Vupt hoje é reconhecido no Estado como padrão de excelência e queremos trazer isso para a Polícia Civil”, pontua Gorski.

Uma delegacia de polícia recebe público variado durante todo o dia. Além dos presos, que são interrogados e autuados, a unidade recebe testemunhas para oitiva, suspeitos para interrogatório, vítimas para denúncia. Gorski explica que um mesmo inquérito resulta em uma série de diligências e um grande número de pessoas ouvidas. “É importante que haja estrutura adequada para que as pessoas que procuram a Polícia Civil possam ser bem atendidas, com privacidade e conforto”, ressalta.

Fonte: Site Goiás Agora