Polícia Civil cede antigo prédio do 5º DP, em Campinas, para abrigar Casa da Promoção da Paz

452
Descerramento da placa de inauguração da Casa de Promoção da Paz

A Secretaria de Segurança Pública e Justiça inaugurou na última terça-feira(28) a Casa da Promoção da Paz. No prédio do antigo 5º Distrito Policial, no Setor Campinas, em Goiânia, passam a funcionar a Superintendência de Direitos Humanos (SDH) e a Ouvidoria Geral da SSPJ-GO. Com a reforma, o prédio abriga também a coordenação dos Conselhos Comunitários de Segurança – CONSEGs, Conselho Deliberativo do Programa de Proteção às Testemunhas e Vítimas Ameaçadas, Conselho Estadual de Direitos Humanos – CDH e Conselho Estadual Antidrogas – CEAD.

Trabalharam na reforma reeducandos do regime semi-aberto e menores que cumprem medidas sócio-educativas. O secretário de Segurança Pública e Justiça, João Furtado Neto, informou que “esse é um exemplo de boa utilização de um prédio público e que com um investimento pequeno foi possível deixar o prédio pronto para as atividades”. João Furtado destacou que a Superintendência de Direitos Humanos ajuda a combater a criminalidade porque congrega ações preventivas da secretaria. “Nós não fazemos só repressão, nós também somos Justiça. Como Justiça, além de ter o Sistema Prisional sob nossa jurisdição administrativa e de cuidar do PROCON, que é o órgão de defesa do cidadão, nós também fazemos a manutenção de testemunhas protegidas e ações de auxílio ao usuário de drogas.”, informou Furtado.

A nova sede da SDH fica na Rua José Hermano, quadra 25, nº 1.040, no Setor Campinas (no antigo 5º DP – atrás da Praça Joaquim Lúcio), em Goiânia. O prédio foi cedido pela Polícia Civil. “A proposta da Casa da Promoção da Paz é criar um campo de ações sinérgicas e fazer uma interlocução mais efetiva com a sociedade civil do Estado. Porque os problemas que enfrentamos, como é o caso das drogas, requerem as ações em rede e nós não vamos conseguir avançar se não tivermos parceria entre Estado e sociedade”, argumentou o superintendente de Direitos Humanos, delegado Edilson Britto. A Delegada Geral da Polícia Civil, Adriana Accorsi, que foi a primeira Superintendente de Direitos Humanos de Goiás, disse conhecer as dificuldades da SDH e que agora se sente honrada em ceder o prédio que estava vazio e servindo de abrigo de marginais e passa sediar um importante trabalho.

Fonte: Site da SSPJ-GO