DEMA conclui 44 procedimentos de crimes ambientais na Bacia do Anicuns

373
Policiais da DEMA analisam área degradada.
Policiais da DEMA analisam área degradada.

O delegado Luziano de Carvalho, titular da DEMA (Delegacia Estadual de Repressão a Crimes contra o Meio Ambiente), apresentou à imprensa nesta segunda-feira (06/06) a conclusão de 44 procedimentos policiais que apuraram crimes ambientais cometidos na região da Bacia do Anicuns.

De acordo com o delegado, a maioria dos investigados vai responder pelo delito tipificado no artigo 48 da lei 9.605/98, que prevê pena de detenção de seis meses a um ano pra quem impedir ou dificultar a regeneração natural de florestas e demais formas de vegetação.

Luziano explicou que a Bacia do Anicuns, que é de “extrema importância para a região urbana da Grande Goiânia”, vem sofrendo danos constantes devido à interferência humana. “Nós mapeamos e identificamos 49 nascentes, muitas delas em áreas já bem urbanizadas. Infelizmente algumas estão condenadas a desaparecer, mas outras ainda podem ser recuperadas”, comentou.

Área de nascente já cercada por imóveis urbanos.
Problema: área de nascente já cercada por imóveis urbanos.

Conhecido pelo forte engajamento com a causa ambiental, Luziano afirma que é importante proteger essas nascentes, de preferência cercando as áreas onde elas estão localizadas. Ele ainda alerta para a necessidade de se colocar em prática programas de recuperação de áreas degradadas e destaca a importância de se retirar o gado desses locais sensíveis: “O gado acaba fazendo o solo ficar mais compacto, dificultando a infiltração natural de água”, explica, concluindo que a criação dos animais deve ser mantida apenas em lugares adequados para tanto.