DEMA conclui inquérito sobre falsos fiscais que fingiam manter ONG

434
reama
Revista de fachada era usada pelos suspeitos para praticar extorsão

A Delegacia Estadual do Meio Ambiente (DEMA) concluiu, no dia 7 de outubro, o Inquérito Policial que desbaratou uma associação criminosa de falsos fiscais ambientais com atuação principalmente na região de Rio Verde e Mineiros. De acordo com o delegado Alexandre Otaviano Nogueira, os integrantes do grupo se passavam por agentes do Ibama, da Agrodefesa ou por policiais e afirmavam a produtores rurais que precisavam fazer vistorias nas propriedades.

Durante as vistoria, os falsos fiscais apontavam irregularidades nas fazendas e faziam propostas para substituir a multa por doações a uma ONG mantida por eles próprios. O delegado informa que a ONG, chamada de Reama, era mera fachada e o dinheiro “doado” acabava sendo apropriado pelos indiciados.

Otaviano conta que as “doações” variavam de R$ 1 mil a R$ 5 mil e que o bando já vinha atuando desde o ano 2000. “Foi uma investigação bastante trabalhosa, mas graças ao empenho dos policiais da Dema, conseguimos concluí-la com êxito. Nós calculamos que o valor obtido de forma fraudulenta pela associação criminosa foi de aproximadamente R$ 500 mil”, revelou o Delegado.

Regisnaldo Correa Dantas (considerando o cabeça do esquema), Eusvaldo Alves de Souza e do cabo da Polícia Militar Iromar Barbosa Magalhães foram indiciados por estelionato e associação criminosa. Regisnaldo também foi indiciado por porte ilegal de arma de fogo. O caso será agora julgado pelo Poder Judiciário de Rio Verde.

Foto: Reprodução/TV Anhanguera