Denarc faz primeira apreensão da droga “key” em Goiás

2109

denarcA Polícia Civil, por meio da Delegacia de Repressão a Narcóticos (Denarc) realizou a primeira apreensão da droga sintética key em Goiás, substância quem vem sendo utilizada em festas. As investigações que levaram à apreensão duraram pouco mais de um mês e os resultados foram apresentados na manhã desta quarta-feira (22), pelo delegado Alécio Moreira, titular da especializada. Quatro pessoas foram presas.

Conhecida como key, a ketamina, ou special k, é uma droga de fabricação caseira produzida a partir de um anestésico de uso veterinário, geralmente aplicado em cavalos. Usuários dizem ter a sensação de sair do corpo ao consumir a droga. Seu efeito rebaixa o sistema nervoso central e causa perda de sensação do corpo. De acordo com o site quedroga.com.br, a key pode ser cheirada, adicionada a bebidas, fumada misturando o pó em cigarros, ou injetada.

Segundo o delegado Alécio Moreira, as investigações tiveram início após denúncia sobre o uso da droga em festas da comunidade LGBT. Nas primeiras diligências, a equipe policial identificou, no dia 12 de maio, no Setor Sul, um dos fornecedores de drogas para as festas, Pedro Augusto Mota Avelino. Com ele, foram encontrados uma porção de cocaína, 50 comprimidos de ecstasy e 11 frascos de vidro contendo o remédio veterinário Cetamin, de onde é retirada a substância Cetamina, base da key.

Prosseguindo as investigações, os policiais identificaram, no dia 16 de junho, um dos fornecedores de cocaína, Márcio Fernandes Silva, de 31 anos, preso em flagrante delito, no Setor Bueno, na posse de 17 porções de cocaína. Na madrugada seguinte, os policiais identificaram e prenderam, no Setor Negrão de Lima, Maycon Theodor Mochnacz, de 33 anos, responsável pelo fornecimento de ecstasy e do medicamento Cetamin a outros traficantes.

No momento da prisão, Maycon vendia 30 frascos do remédio para Rafael Souza Beze, vulgo “Rafiro”, de 30 anos. Em poder de Rafael foram apreendidas outras 30 porções da droga conhecida como “Calvin Klein”, que é a key misturado à cocaína. Rafel utilizava sua residência, no Setor Sudoeste, como laboratório para extrair a substância cetamina. No local, foram achados outras 78 porções de key e 59 porções de ecstasy.