DENARC prende traficante com 150 kg de maconha e veículo roubado e outros quatro do DF

483
Droga apreendida pelos Policiais Civis da Denarc
Maconha apreendida pelos Policiais Civis da Denarc

Policiais civis da Delegacia Estadual de Repressão a Narcóticos (Denarc) apresentaram na manhã desta segunda-feira, 31, o carpinteiro Dirso da Costa Rosa, de 48 anos, suspeito de vender até uma tonelada de maconha por mês para traficantes de médio porte da região metropolitana de Goiânia e do Distrito Federal.

De acordo com a Polícia Civil, ele estaria atuando com tráfico de drogas e outros crimes há cerca de 10 anos. Dirso – que se apresentou no momento da abordagem com a identidade falsa em nome de Edilson da Costa Rocha – foi flagrado com 150 kg de maconha na noite de sábado, horas depois de, segundo a polícia, ter vendido a droga para traficantes de Brasília.

Em abril deste ano, os policiais civis da Denarc quase prenderam Dirso ao descobrirem 700 quilos de maconha em sua casa no Setor Aeroporto Sul, em Aparecida de Goiânia. O suspeito, entretanto, havia deixado a residência pouco antes da abordagem policial. Ficou para trás, além da droga, o filho dele, de 8 anos. “Quando chegamos lá encontramos a droga e a criança, que ficou muito assustada. A droga ficava em um quarto, mas a criança via tudo, não era escondido dela”, comentou o delegado Alécio Moreira, titular da Denarc.

Também foram presos Leandro de Lima Cordeiro, de 36 anos, Rafael dos Santos Teofilo da Silva, de 21, Geovana Joaquina Ramos, de 20, e Amadeus Oliveira da Fonseca, de 41. Os quatro vieram de Brasília para comprar, segundo a Denarc, 30 kg de maconha com Dirso. Amadeus seria o líder do grupo brasiliense e os outros três vieram em outro carro como batedores, fazendo a proteção do carro em que estava Amadeus com a droga.

Amadeus foi abordado no Anel Viário, em Aparecida, enquanto os outros três estavam em um posto de combustível próximo a Anápolis, na BR-153. Além disso, foram apreendidos na residência de Dirso, no Setor Condomínio Amin Camargo, Região Noroeste de Goiânia, mais dois quilos de pasta-base de cocaína, uma pistola calibre 380, munições e uma caminhonete Ford/Ranger, produto de roubo e R$ 2,7 mil em dinheiro. Dirso também estava com uma CNH falsa em nome de Adilson.

Dirso da Costa foi indiciado pelos crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico, posse irregular de arma de fogo e munições, receptação e uso de documento falso, podendo ser condenado a até 38 anos de prisão. Ele tem nove passagens pela polícia por tráfico, furto e receptação e dois mandados de prisão em aberto.

Os demais foram indiciados por tráfico de drogas e associação para o tráfico. Todos se encontram detidos na Casa de Prisão Provisória (CPP) do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia.

Além de vender, Dirso também é investigado por transportar droga para Goiânia. Ele já teria ido algumas vezes para Ponta Porã (MS), na divisa do Brasil com Paraguai. De acordo com o titular da Denarc, ele teria um sócio, que já foi identificado e que já estaria com o mandado de prisão em aberto. Entretanto seu nome não é tornado público para não atrapalhar as investigações.

Fonte: O Popular
Texto: Márcio Lejoto
foto: Polícia Civil