DERFRVA desmonta laboratório e DECAR prende detento do semiaberto por receptação

588
Objetos apreendidos pela Polícia Civil  no laboratório de drogas
Objetos apreendidos no laboratório de drogas

Em outra operação, Policiais
Civis da Delegacia Estadual
de Repressão a Furtos e Roubos
de Cargas prenderam um detento
do regime semiaberto por receptação

Durante uma operação realizada nesta terça-feira (19), com o objetivo de recuperar uma caminhonete roubada, policiais civis da Delegacia Estadual de Repressão de Furtos e Roubos de Veículos Automotores (DERFRVA) localizaram e desmontaram um laboratório de refino de drogas no Residencial Solar Ville, região noroeste de Goiânia.

No local, os policias encontram 100 quilos de maconha, solvente, pasta base, balanços de pressão e vários outros utensílios para a produção de entorpecentes. Também foi encontrado um veículo modelo Fiorino. A polícia vai apurar se o automóvel é fruto de roubo.

Na residência, a Polícia Civil prendeu Danilo Henrique, de 20 anos. Segundo o delegado Alonso Cândido Rezende, responsável pelo caso, o suspeito admitiu ser proprietário dos materiais apreendidos. Danilo nega a existência de outra pessoa para ajudar na realização do refino, mas o delegado acredita que existem mais pessoas envolvidas. O jovem foi conduzido à delegacia e atuado por tráfico de drogas, receptação de veículo e porte ilegal de armas. (Fonte: O Hoje. Texto: Caroline Morais)

                                                      DECAR: Detento do semiaberto preso por receptação

decar
Marildon Braga

O detento do regime semiaberto Marildon Braga dos Santos, de 32 anos, foi preso em flagrante ontem de manhã (dia 19) no distrito de Posselândia, município de Guapó, por policiais civis da Delegacia Estadual de Repressão a Furtos e Roubos de Cargas (Decar), com 500 quilos de arroz, 80 quilos de feijão, 780 carteiras de cigarros e 125 litros de combustível sem notas fiscais que comprovassem a aquisição das mercadorias.

O delegado Carlos Caetano, titular da Decar, disse que Marildon cumpre pena no regime semiaberto por receptação qualificada e tem passagens por formação de quadrilha, estelionato e uso de drogas. Ele começou a ser investigado depois do roubo de uma carga de cigarros em Nerópolis, na sexta-feira. Nos próximos dez dias, prazo para concluir a investigação, o delegado vai averiguar se Marildon participou do roubo.

Marildon, que usava tornozeleira eletrônica na hora da prisão, é pequeno comerciante em Posselândia, onde tem um restaurante e um mercadinho. (Fonte: O  Popular. Texto: Rosana Melo)