Difícil de acreditar: Criança de apenas três anos é vítima da mãe ao ser espancada a pauladas

444

Uma mulher de 27 anos é suspeita de espancar a filha de 3 anos, a pauladas, segundo a Polícia Civil. A criança está internada na UTI pediátrica do Hospital Materno Infantil (HMI). A assessoria de imprensa do hospital informou ao G1, na tarde desta quinta-feira (7), que exames constaram vários hematomas na criança, inclusive na região genital, além de mordidas. A menina também teve uma perfuração no intestino. O estado de saúde dela é regular.

A agressão teria ocorrido na segunda-feira (4), no Setor Central, em Goiânia, onde a suspeita mora com a filha, o companheiro e mais três enteados. Titular da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) e responsável pelo caso, Renata Vieira disse ao G1, nesta tarde, que só está esperando um mandato ser expedido para prender a mãe da garota.

De acordo com a delegada, na terça-feira (5), após espancar a filha, a mãe, arrependida, teria procurado uma igreja pedindo que rezassem por ela. Vendo que a criança estava muito machucada, alguns frequentadores da igreja resolveram chamar a polícia

Quando a Polícia Civil chegou na casa, a criança estava machucada e com muita febre. Os policiais civis então levaram-na para o Hospital Materno Infantil, que a encaminhou para o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), onde ela foi submetida a bateria de exames. Além de hematomas – inclusive na região genital – e mordidas, foi constatada uma perfuração no intestino da garota. “Ela retornou ao HMI e passou por uma cirurgia para a retirada de parte do órgão”, disse a delegada. Um exame foi feito no Instituo Médico Legal (IML), mas não confirmou abuso sexual.

Pastora da igreja que a família frequentava, Patrícia Gonçalves Maciel prestou depoimento e disse que a mulher já teria dito que quando a filha chorava, ela ficava muito nervosa e batia nela. Em entrevista ao G1, ela garante que essa não foi a primeira vez que o fato aconteceu. “Há mais ou menos um mês, a criança também apareceu toda machucada na igreja. Ela disse que faz isso e depois se arrepende”, disse a pastora. Enteadas da suspeita também teriam dito à pastora que a irmã estava muito machucada.

De acordo com a delegada, a mãe responderá por lesão corporal grave resultante de perigo de vida. O padrasto, em tese, não parece ter envolvimento com o espancamento, pois a delegada informou que ele não estava em casa no momento em que tudo aconteceu.

 

 

Fonte: G1/GO
Texto: Silvio Túlio
Ilustração: Google