Discurso do Delegado Geral na cerimônia de nomeação dos novos Policiais Civis Goianos

533

“A alegria e o entusiasmo nos dominam em determinados momentos da vida, este, sem dúvida, é um deles. Face a tudo isso, não há como iniciar esta fala sem demonstrar toda a admiração e gratidão que nossa Polícia Civil nutre por Vossa Excelência Governador Marconi.

Mais uma vez coube ao senhor resgatar demandas históricas de nossa instituição. No ano 2.000, foi vossa excelência que promoveu e finalizou o maior concurso realizado para a Polícia Civil goiana, quando tive a honra de ter sido nomeado como delegado, e hoje participo ao seu lado, desta cerimônia, que coroa o segundo maior concurso realizado em nossa instituição. Nossa história atrela-se a sua, governador, nossos saltos de qualidade devem-se a sua liderança e gestão, nossa luta e missão seria infinitamente maior não fosse sua sensibilidade e priorização do sistema de segurança em suas administrações. Por isso, e por muito mais que já foi e ainda será feito, nossos mais sinceros e profundos agradecimentos.

Outro reconhecimento é necessário ser feito. Senhor Secretário Joaquim Mesquita, sua liderança e exemplo moldam hoje toda nossa equipe, que aprendeu, em pouco tempo, as virtudes do compromisso público, da preocupação com a qualidade e eficiência no atendimento ao cidadão, da objetividade, racionalidade e controle em busca de um fim maior.

Nossa gratidão ainda a todo corpo de servidores da Saesp, da UEG e da Academia da Polícia Civil, em especial aos professores, que tiveram a responsabilidade e amor suficientes para repassar aos hoje formandos, tudo que lhes é mais caro, o conhecimento, o compromisso, a ética e a vontade de servir.

Por último, um agradecimento é vital ser feito, a todo instante, aos policiais civis goianos, que em 2013, apesar de todos os contratempos, militaram a causa da justiça e do combate a impunidade.

Sr. Governador, sua Polícia Civil, em 2013, bateu todos os recordes de produtividade de nossa história. Saltamos de uma média anual de aproximadamente 12.000 autos de prisão em flagrante por ano, para 18.346, aumento de mais de 50% de produtividade.

Nosso mais nobre trabalho é a finalização e encaminhamento ao poder judiciário, da peça que trará punição aos delinquentes: o inquérito policial, com prova da autoria suficiente para condenação. No último ano finalizamos 32.000 feitos, mesmo passando por momentos graves de extensas paralisações, as quais só foram sanadas com sua sensibilidade e compromisso com o servidor policial civil.

Em recente estudo publicado pela Secretaria Nacional de Segurança Pública, a Polícia Civil de Goiás foi apresentada como a 2ª no país que mais inicia procedimentos policiais, a 4ª no que tange a procedimentos finalizados por policial civil, e era, em 2011, uma das piores em quantitativo de servidores. Hoje, com este ato, passará das últimas posições do ranking nacional para a 7ª colocação.

2014 se inicia de forma alvissareira no segmento segurança. O esforço conjunto de todo o governo para diagnosticar e planejar as mudanças de rumo, começam a ganhar corpo, e sair do mundo das ideias para a vida das pessoas. Com o efetivo policial reconstituído, o plano de reformas de 100 unidades policiais em marcha, a valorização dos servidores em curso, a aquisição de mais de R$ 4.000.000,00 (quatro milhões de reais) em mobiliário e informática já feita, e ainda aquisição de armas, coletes e equipamentos de inteligência, o panorama atual de nossa instituição ganha novas cores, e com muito trabalho, reverteremos com certeza este ano, o quadro drástico de criminalidade que assola todo o país. Pelo menos em Goiás, o senhor poderá afirmar ter feito no que tange a polícia Civil o melhor governo da vida dos goianos.

Junto a isso estamos mudando a visualização de nossa presença social, e, em 2014, os goianos verão um polícia civil ainda mais atuante, presente, solícita, e ainda de cara nova, mais jovem, dado o ingresso dos nossos formandos, e ainda do investimento em novos trajes e distintivos que estamos finalizando: 5.000 novos uniformes e distintivos já adquiridos.

Falo agora a vocês, homens e mulheres de todo Brasil, que escolheram a Polícia Civil como lar, como missão e como ideal.

Essa é a escolha de suas vidas. A partir de agora tudo será diferente, por vezes muito melhor, por outras a coragem deverá lhes guiar por locais difíceis, mas este é o seu papel, isso é o que se espera de vocês, ser firmes quando todos se amedrontam, fortes contra os brutos, doces com os desvalidos, ternos com quem anseia por seu apoio, unidos em torno de um objetivo que nos justifica, nos sustenta e nos enobrece.

Tudo que nos cerca é cheio de símbolos. O arcebispo de Bueno Aires, Jorge Mario Bergoglio, ao ser nomeado Papa, assumiu o nome de Francisco, num sinal claro que gostaria de emitir a todos os fiéis e membros da Igreja. Francisco é o nome de dois dos mais importantes santos do catolicismo.

Francisco Xavier foi missionário e levou a palavra de Deus aos mais longínquos lugares do globo, sua vida de trabalho e dedicação a instituição e seus princípios motivaram o Santo Papa na escolha.

Francisco de Assis resume a essência do cristianismo, o amor ao próximo, o servir acima de tudo, a humildade e desapego, a valorização da vida e da alegria por meio do trabalho e viver pelo outro.

Pensando nisso, me vi a pouco tempo comparando o incomparável, mas, aproveitando esse momento, não pude deixar de constatar que em parte é isso que deve nos mover, gostaria de lhes pedir que sejam um pouco de cada Francisco no seu proceder.

Peço-lhes o caráter missionário de Francisco Xavier no desbravar com coragem todo esse Goiás, que para trabalhar nada será longe, e tudo será bom, parafraseando Milton Nascimento. Que vocês possam ser a voz da justiça onde o crime impera, arautos do bem onde o mal se alastra, que levem os princípios e ideais que aprenderam na Academia por todo canto, sempre.

Peço-lhes também que sejam o sal da terra e a luz no mundo, como foi Francisco de Assis, que deem sabor as comunidades por onde passarem, que façam a diferença com um sorriso no rosto e o esforço no coração. Que se padeçam dos mais fracos, que ouçam e se solidarizem com os vitimados, que vivam para servir, que procedam em seu dia a dia com humildade, dignidade, ética e competência.

Todos vocês aqui chegaram por mérito e honra, e por isso merecem os parabéns, porém, a partir de agora, deverão, para o resto de suas vidas funcionais, tentar ao máximo retribuir as dádivas recebidas, por Deus, pela vida, pelo esforço de suas famílias e principalmente pelo povo deste Estado.

Aqui me tornei mais de mim mesmo. Aqui pude ver valorizado o suor do meu rosto e de muitos outros amigos que para cá vieram buscando uma vida completa, uma profissão, família. Goiás recebe a todos de uma maneira única, e reconhece e dignifica como em nenhum outro lugar quem retribui este carinho. Sou prova disso e lhes digo que todo o esforço será recompensado, toda luta trará frutos e ao fim da jornada verão que o bem que aqui se faz, aqui se recebe.

Somos pagos para fazer o bem todo dia, aproveitem esta oportunidade sempre.

Parabéns a todos vocês e às suas famílias,

Toda a sorte do mundo e contem sempre comigo.”

João Carlos Gorski