Discussão por lanche servido no trabalho acaba em morte em Luziânia. Suspeito preso pela PC

407
ddddd
Flávio Lisboa dos Santos: Matou por causa de lanche

Um homicídio ocorrido no último dia 20, por volta das 21 horas, às margens da BR-040, em Luziânia, foi solucionado em tempo recorde pela Polícia Civil. Com informações obtidas com a testemunha e primo da vítima João de Sousa, de 23 anos, os Policiais Civis plantonistas da Delegacia de Polícia local, sob o comando do Delegado Olemar Santiago, iniciaram as diligências e na mesma noite chegaram ao autor do crime.

Reconhecido pela testemunha Welvis Ribeiro de Sousa, o suspeito Flávio Lisboa dos Santos,de 21 anos, foi preso no frigorífico onde trabalhava. João de Sousa foi morto a tiros, provavelmente por pistola, uma vez que os policiais encontraram duas cápsulas deflagradas de calibre 380 no local do crime.

Ao ser abordado no trabalho pela equipe de Policiais Civis do Delegado Olemar Santiago, o suspeito Flávio Lisboa negou a autoria, mas foi apontado por Welvis Ribeiro como o autor do homicídio. O preso acabou confessando a autoria posteriormente, indicou um comparsa no crime(nome mantido em sigilo) e disse que matou João de Sousa por causa de uma discussão que tiveram no frigorífico onde ambos trabalhavam. O motivo do desentendimento foi por causa do lanche servido no frigorífico. O preso, conforme apurou Olemar Santiago, havia feito ameaças à vítima no dia anterior, com a seguinte frase: “Que sabia onde a vítima descia para pegar a Van e que iria pegá-lo”

No dia do crime, Flávio Lisboa pegou a Van que faz o transporte até o frigorífico em um ponto diverso do que tinha costume, onde a vítima esperava costumeiramente e consumou a ameaça feita anteriormente. O suspeito disse que a arma do crime pertence ao seu comparsa e que foi ele quem lhe deu cobertura na fuga. Participaram das investigações os policiais José da Silva Junior e Heráclito, além do Delegado Olemar Santiago.

Texto: Delegado de Polícia Norton Luiz Ferreira – Assessor de Comunicação da Polícia Civil
Foto: Polícia Civil / Luziânia