Dois funcionários que desviavam dinheiro da Pousada do Rio Quente presos pela Polícia Civil

389
Dinheiro apreendido pela Polícia Civil de Caldas Novas com os presos

Segundo a Polícia Civil, eles desviavam dinheiro de pagamento de hospedagem. Ex-trabalhador do local também foi detido; ele invadia sistema do complexo

Dois funcionários de um resort foram presos em flagrante no domingo (1º), em Rio Quente, a 172 quilômetros de Goiânia, suspeitos de desviar dinheiro do estabelecimento. Um ex-trabalhador do local também foi detido.

De acordo com a Polícia Civil, as investigações começaram há um mês, quando a gerência do local denunciou o sumiço de dinheiro do caixa. “Eles detectaram diferença no fechamento do mês observando a média de hóspedes”, explica o titular de Caldas Novas que investiga o caso, Marco Antônio Maluf Soler.

Os dois funcionários trabalhavam no local há aproximadamente um ano como recepcionistas e eram responsáveis pela abertura e fechamento de contas de hóspedes no sistema do resort. Eles furtavam dinheiro do caixa dos hotéis da empresa e transferiam as contas dos clientes, após o check-out, para contas inativas da própria empresa turística.

Com isso, o ex-funcionário do setor de Tecnologia da Informação acessava o sistema do resort de sua casa e apagava essa conta. “Quando o pagamento era feito com dinheiro, eles mandavam uma mensagem para o ex-funcionário. Este acessava o sistema do resort da casa dele e apagava a conta do cliente, como se ele nunca tivesse se hospedado lá. Então, ficavam com o dinheiro”, detalha o delegado Marco Antônio.

Além de computadores e dispositivos de acesso à internet, a polícia apreendeu com o grupo aproximadamente de R$ 9 mil em dinheiro. Este valor, de acordo com o delegado, foi fruto de menos de 12 horas de ação dos suspeitos.

O trio foi indiciado por furto qualificado e recolhido ao presídio local, onde se encontram à disposição do Poder Judiciário. A polícia informou que a direção do resort não sabe ainda afirmar qual foi o total do prejuízo causado pelos funcionários.

Fonte: g1.globo.com