Em busca do patrimônio: vítimas de quadrilha lotam pátio da Deic em busca de objetos furtados

488
Vítimas lotam pátio da Deic para recuperar objetos furtados por quadrilha

Notícia de prisão de quadrilha e de apreensões causou correria à delegacia. Polícia Civil agendou depoimento para entregar produtos

A esperança de recuperar as três televisões de LCD e os dois videogames furtados de casa, no Setor Alice Barbosa, na terça-feira à tarde, fez com que o comerciante Davi fosse com o filho Pedro Henrique, de 7 anos, até a Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic), na Cidade Jardim, na tarde de ontem(dia 24.04). Ele ficou sabendo da prisão de uma quadrilha responsável por centenas de furtos a residências em Goiânia e em Aparecida de Goiânia e correu para lá. Davi e outras centenas de vítimas lotaram a praça interna do complexo de delegacias especializadas.

Os trabalhos rotineiros da delegacia foram interrompidos para que fosse priorizado o atendimento às vítimas. A maioria levou, além da ocorrência do furto registrado em diferentes delegacias, as notas fiscais dos produtos, mas por causa do grande número de pessoas, ninguém levou os objetos furtados para casa.

O delegado Glaydson de Carvalho, responsável pela prisão da quadrilha, disse que houve o cadastramento das vítimas, o agendamento para o depoimento, quando serão entregues os objetos recuperados pela Polícia Civil. A quadrilha era monitorada havia um mês por agentes da Deic, depois que a Polícia Civil percebeu que a forma de agir do bando era a mesma em várias regiões de Goiânia e de Aparecida de Goiânia. “Eles agem há dois meses, desde que um dos integrantes mudou-se de Jussara para Goiânia”, contou.

Vitor do Nascimento, Elberth Pereira Neres, Jonathan Alves e José Agostinho de Souza, que mudou-se para Goiânia é dono do Punto usado nos crimes, foram presos na sexta-feira passada, em uma casa do Jardim Fonte Nova, onde parte dos objetos furtados foi recuperada. O restante estava na casa de Ralph Pereira, na Vila São José. Ele comprava as mercadorias furtadas e as vendia abaixo do preço de mercado na Feira da Marreta, no Setor Vila Nova.

O grupo observava a casa que escolhia como alvo, tocava a campanhia, desligava o padrão de energia e quando tinha certeza de que não tinha ninguém no imóvel, arrombava o portão e entrava com o carro até a garagem. A porta da casa também era arrombada pelo bando, que recolhia aparelhos eletroeletrônicos, que eram levados no porta-malas do carro.

“Eles agiam principalmente de manhã. Em alguns bairros, furtaram mais de 20 vítimas”, contou o delegado. Este é o caso do Setor Andreia Cristina, em Aparecida de Goiânia. Valdir Fabiano da Silva, que teve a casa dele arrombada e furtada na quinta-feira cedo, quando ele e a mulher saíram, disse que vários vizinhos foram vítimas do mesmo grupo do carro preto. Ontem à tarde na Deic, ele agradeceu o empenho da Polícia Civil na investigação. “Consegui recuperar um notebook e duas televisões. Parte dos meus bens foi devolvida e estou muito feliz”, contou. Além do que foi recuperado, os ladrões levaram uma televisão de LED, dois videogames, dois pares de tênis e um boné.

Fonte: O Popular
Texto: Rosana Melo
Foto: Ricardo Rafael