Em cinco dias, Polícia Civil de Rio Verde esclarece latrocínio de corretor

450

latrocinio rio verdeOs responsáveis pela morte do corretor de imóveis Ailton Vieira dos Santos, assassinado durante um assalto em Rio Verde no dia 16 deste mês com um tiro nas costas, foram apresentados nesta quarta-feira (23), na 8ª Delegacia Regional de Rio Verde. Michel Martins de Sousa, 19 anos, Thales Vinicius Oliveira Nunes, 19 anos, e Warlei Diogo Lage, 24 anos, foram presos por agentes da Polícia Civil e confessaram o crime. Os policiais também apreenderam um menor de 16 anos.

Os quatro rapazes chegaram ao estabelecimento Bar da Irene, na Rua Guarani, no Bairro Santo Agostinho, em duas motos e anunciaram o assalto. Utilizando dois revólveres, roubaram todas as pessoas e, ao saírem, Michel, que estava com um revólver calibre 38, fez o disparo que atingiu o corretor de imóveis que morreu no local. Câmeras de segurança registraram o crime.

O delegado Danilo Fabiano Carvalho e Oliveira, titular da 8ª Regional, explicou que desde o primeiro momento após o crime equipes do Grupo de Investigações de Crimes contra o Patrimônio (Gepatri) e do Grupo Especial de Repressão a Narcóticos (Genarc) iniciaram as investigações e já na segunda-feira chegaram à autoria do crime. O delegado de Rio Verde, Wellington Lemos, coordenou os trabalhos de investigação que, além da gravação, se baseou em denúncias anônimas que levaram à identificação de um dos autores como sendo Michel Martins de Sousa.

No dia seguinte ao do crime, os policiais descobriram que os suspeitos haviam fugido para a cidade de Uberlândia e passaram a investigar a real localização dos fugitivos. De posse dos mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão de todos os envolvidos no crime, a Polícia Civil saiu à procura dos criminosos. Sabendo dos mandados, os assaltantes constituíram uma advogada que compareceu à delegacia e disse que eles queriam se apresentar.

Eles foram presos e encaminhados à delegacia para o cumprimento dos mandados e interrogatórios. Foram indiciados por latrocínio, entre outras infrações ao Código Penal Brasileiro. Thales Vinicius Oliveira Nunes tinha passagem pela polícia por furto em residência em 2011. Warlei Diogo Lage, por furto qualificado, (2009), ameaça (2010), ameaça e injúria (2010), receptação culposa (2011), desobediência, desacato e direção perigosa (2013) e porte de arma e falta de CNH (2013).

De acordo com o delegado regional, uma força-tarefa foi  montada na cidade, a  fim de coibir, investigar e elucidar crimes contra o patrimônio, uma modalidade que, segundo ele, tem crescido na cidade. “O fato de termos uma economia forte, uma frota de caminhonetes grande, atrai criminosos. Por isso, começamos esse trabalho, que será permanente”, salienta Danilo. Esse é o segundo latrocínio ocorrido na cidade em 2016. No outro caso, os responsáveis foram presos em 24 horas.

Relembre o outro caso: Polícias Civil e Militar prendem suspeitos de latrocínio em Rio Verde