Em família: Polícia Civil apresenta suspeitos de assassinato em Iporá

889
corpo
Agentes escavam local onde corpo foi enterrado

O aposentado Sebastião Pereira Vitorino, de 72 anos; o neto dele, o auxiliar de produção Henrique Rodrigues, de 23, e Artur Borges Lopes, de 19, foram apresentados na manhã desta segunda-feira (7), na Delegacia de Investigação de Homicídios. Os três são acusados de assassinarem o vendedor Huasley Rodrigues Borges, de 18, que estava desaparecido desde o dia 30 de agosto do ano passado.

De acordo com as investigações, conduzidas pelo delegado Valdemir Pereira, o crime, ocorrido em Iporá, foi o desenrolar de uma história de vingança em família. O vendedor assassinado era apontado pelo avô como autor do homicídio da própria avó, Maria Francisca Ferreira, de 66 anos, esposa de Sebastião, morta em agosto de 2013. O crime teria tido ainda a participação da mãe da Huasley, Valdivina Rodrigues Mota Santos, de 41, e do namorado dela, Daniel de Oliveira Rocha.

Revoltado, o aposentado teria dado início às investigações acerca do assassinato da esposa e chegado à suspeita de envolvimento do neto e da nora. Ele teria, então, convencido outro neto, Henrique, irmão de Huasley, a participar da morte dos supostos envolvidos no assassinato da esposa. Foi Henrique, inclusive, quem teria atraído o vendedor para uma mata próxima a Iporá, onde ocorreu o assassinado e onde parte de sua ossada foi encontrada no dia 1º de dezembro.

Segundo o inquérito policial, Henrique é acusado ainda de tentar matar a própria mãe, Valdivina, em outubro passado, no Setor Garavelo, em Aparecida de Goiânia, a mando do avô. Na ocasião, Henrique atirou contra a mãe e uma tia, que sobreviveram. Sebastião, no entanto, teria dado nova ordem ao neto, para que praticasse novo crime contra Valdivina, o que não chegou a ser feito.

As investigações apontaram ainda que Sebastião tramava a morte da neta, filha de Valdivina, porque ela teria ocultado informações que poderiam levar a polícia à elucidação do assassinato de sua esposa. Preso, Henrique confessou ter atraído o irmão para a morte. Artur, por sua vez, confessou a tentativa de homicídio contra Valdivina e contra outro jovem, Gustavo Alves de Almeida, baleado em novembro, em Montividiu. Os presos estão na carceragem da DIH e devem ser transferidos para a Penitenciária Odenir Guimarães.