Em Goianésia, mãe é indiciada pela Polícia Civil por morte de filha de apenas oito meses

370
bergamo
Delegada Poliana Bergamo diz que mãe foi negligente

A Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (DEAM) de Goianésia prendeu, no dia 25 de setembro, uma jovem de 25 anos, suspeita de causar a morte da própria filha, um bebê de 8 meses de idade. A delegada responsável pelo caso, Poliana Bergamo, representou pela prisão preventiva da mãe após laudo do Instituto Médico Legal (IML) concluir que o bebê morreu por desnutrição e desidratação.

A delegada informou que a mãe deve ser autuada por homicídio qualificado por omissão a título de dolo eventual. “Os pais tem o dever de cuidar dos filhos. Ao não alimentá-­la e não hidratá­-la, e, mesmo ciente do estado de saúde, não providenciar os medicamentos necessários, e diante a piora do quadro, não levá-la ao médico, a mãe demonstra, claramente, que assumiu o risco da ocorrência do resultado morte”, explicou Poliana.

A delegada ressaltou ainda que a mãe não foi apenas negligente no cuidado de sua filha, mas manifestou descaso, desprezo com a sua vida. O bebê morreu no dia 21 de setembro, no Hospital Municipal Irmã Fany Duran, após ter dado entrada apresentando diarreia, vômito, desnutrição e desidratação. Se condenada, a jovem pode pegar de 12 a 30 anos de prisão.

Texto: Assessoria de Imprensa da Polícia Civil
Foto: Jornal Populacional