Em Inhumas, advogado é indiciado por estelionato e falsificação de papel público

388

autenticaçãoO delegado Humberto Teófilo, de Inhumas, indiciou, nesta terça-feira (17), o advogado ***** (nome suprimido, conforme determinado no processo administrativo 201600007002584), por estelionato e falsificação de papel público. Segundo Teófilo, o homem teria falsificado a autenticação de duas guias de custas iniciais, junto à instituições financeiras, a fim de propor duas ações revisionais no Poder Judiciário. Os crimes ocorreram em 2012, mas só foram descobertos recentemente, durante cálculo que o Poder Judiciário faz para checar possíveis valores residuais para emissão de guia final.

Os valores referentes à suposta autenticação bancária foram cobrados dos clientes. A polícia descobriu a autenticação fraudulenta após ser procurada pelo Poder Judiciário, após a descoberta de que as guias iniciais dos processos em questão não haviam sido pagas. Procurado, o banco negou que tivesse validado as guias.

De acordo com o delegado, o advogado já responde a três processos criminais na cidade, por estelionato, praticado contra um idoso; apropriação indébita e falsidade ideológica. A Polícia Civil representou pela prisão preventiva de ***** (nome suprimido, conforme determinado no processo administrativo 201600007002584) e pela suspensão do exercício da profissão, mas o pedido foi negado pelo Judiciário. Um dos argumentos para a negativa foi o de que de que o crime ocorreu em 2012. Uma cópia do procedimento foi encaminhada à Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Goiás, para averiguação de suposta transgressão disciplinar.