Estamos de cabeça erguida e vamos continuar trabalhando”, diz Secretário João Furtado

304
João Furtado fala à imprensa, tendo à sua esquerda o Secretário Executivo da SSPJ, Thales Jaime, e a Delegada Geral da Polícia Civil, Adriana Accorsi

O trabalho continua e será intensificado ainda mais. Este foi o recado enviado pelo secretário da Segurança Pública e Justiça (SSPJ-GO), João Furtado de Mendonça Neto, durante o anúncio dos novos titulares do Comando do Policiamento da Capital (CPC) e de seis Delegacias no Entorno do Distrito Federal.

“As polícias de Goiás não estão abaladas. Estamos de cabeça erguida e vamos continuar trabalhando”, afirmou o secretário, em entrevista coletiva concedida no auditório da SSPJ-GO, quando atendeu a vários veículos de comunicação para falar sobre os desdobramentos da Operação Monte Carlo e para divulgar os números da criminalidade no Estado relativos a fevereiro.

João Furtado esclareceu que os afastamentos foram motivados por determinação da Justiça Federal, na mesma decisão que desencadeou a operação. Segundo o secretário, investigações como as que culminaram com a ação da Polícia Federal na semana passada auxiliam no fortalecimento ético das instituições, mas ressaltou que nenhum membro da Segurança Pública de Goiás foi preso, mas, sim, foram levados para prestar depoimento. “Assim que fomos intimados, a Secretaria da Segurança Pública auxiliou no cumprimento dos mandados judiciais”, disse. “Foi determinado o afastamento das pessoas envolvidas e a apresentação compulsória das mesmas à Polícia Federal no DF”, explicou.

O secretário da Segurança Pública e Justiça elogiou a operação da PF e do Ministério Público Federal, mas solicitou que as ações não se limitem a isso. “Goiás não produz drogas, Goiás não produz armas. Precisamos de apoio para combater o tráfico de drogas, de armas, roubo de cargas e o cangaço de fronteira”, explicou o secretário.

João Furtado voltou a reafirmar que cumpriu determinação judicial para não se pronunciar sobre o caso, o que só foi possível após a sexta-feira (2), após o término dos depoimentos. “Fui particularmente intimado sobre o segredo de Justiça”, disse. João Furtado também reiterou a confiança nos comandos da Polícia Militar e Polícia Civil e que não pretende fazer mudança na cúpula das corporações.

A Delegada-Geral de Polícia Civil, Adriana Accorsi, foi enfática ao afirmar o não envolvimento de nenhum comando ligado à Secretaria de Segurança Pública com os jogos de azar. “Afirmo que o comando da Polícia Civil, assim como o da Polícia Militar, não tem relação alguma com o crime de jogos de azar, até porque, se soubéssemos, teríamos tomados as providências devidas”, ressaltou a delegada. Comandante da PM em Goiás, o coronel Edson Costa Araújo se disse “decepcionado” por ouvir o nome de integrantes da instituição com o caso investigado pela PF.

Veja quem entra e quem sai na Segurança Pública

Comando do Policiamento da Capital

Sai: Sérgio Katayama
Entra: Márcio de Queiroz

Corregedoria Geral da SSPJ
Sai: Aredes Correia Pires
Entra: Letícia Franco

5ª Delegacia Regional de Polícia – Luziânia 
Sai: Juraci José Pereira
Entra: Joaquim Filho Adorno Santos

2º DP de Luziânia – Jardim  Ingá 
Sai: Niteu Chaves Júnior
Entra: Fabiano Medeiros

1º DP de Águas Lindas 
Sai: José Martins Araújo
Entra: Fernando Araújo Lima Gama

Delegacias de Alexânia e Cocalzinho 
Sai: Hilo Marques Pereira
Entra: Eliomar Borges

2º Distrito Policial – Valparaíso 
Sai: Marcelo Zegaib Mauad
Entra: Karina Duarte Rocha da Silva

11ª Delegacia Regional de Polícia – Formosa 
Sai: Joaquim Filho Adorno Santos
Entra: Manoel Leandro da Silva

 

Fotos:  SSPJ
Texto: Site da SSPJ