Falso educador é indiciado pela 13ª vez em Bom Jesus

322

WhatsApp Image 2017-02-07 at 08Policiais civis de Bom Jesus, no Centro Goiano, realizaram a condução coercitiva de um indivíduo que responde por 13 inquéritos policiais. Em todos, Antônio Narno de Souza Neto (foto) é investigado por prática de Estelionato (Artigo 171 do Código penal Brasileiro).

Alvo de investigações da Polícia Civil de Bom Jesus há mais de três meses, Antônio Narno é suspeito de realizar atividades pedagógicas na área de cursos profissionalizantes em nome de uma empresa do Mato Grosso do Sul com a qual ele havia estabelecido contrato, mas que fora rescindido.

O Motivo da rescisão foi a não-remessa dos valores financeiros acordados entre o investigado e o Instituto Educacional Vanguarda, que tem registro regular e funcionamento autorizado pelo Ministério da Educação (MEC).

Apesar do vínculo suspenso, Antônio Narno continuou a ministrar aulas e a captar novos alunos, utilizando-se do mobiliário cedido pela instituição de ensino sul-matogrossense em regime de comodato. Ao longo dos meses de funcionamento irregular, os novos alunos matriculados não conseguiam realizar avaliações. Aqueles que terminaram o curso não obtinham seus certificados de conclusão.

De acordo com o titular da distrital, delegado Vicente de Paulo Silva e Oliveira, o Instituto Vanguarda foi vítima de apropriação indébita de bens e valores, ao passo que os alunos foram vítimas de estelionato e falsidade ideológica. Em sua oitiva, Antônio Narno afirmou que irá reparar o dano e restituir os objetos da empresa vítima, o que lhe lhe proporciona uma redução de pena de um a dois terços.