Garra/Deic apresenta conclusão das investigações de latrocínio que vitimou PM da reserva

696
Titular do Garra/Deic, Francisco Lipari (dir.), apresentou caso à imprensa

O Grupo de Repressão a Roubos, da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Garra/Deic), concluiu, na terça-feira (20), a investigação sobre o latrocínio que vitimou o policial militar da reserva George Reinaldo lemes Alves, no dia 03 de maio do ano passado.

Apontada como a pessoa que conduziu o veículo utilizado no crime, Danielle Cardoso de Castro, 20 anos, foi presa. De acordo com o que foi apurado, Wallyson Lima de Sá, armado, abordou a vítima e anunciou o roubo, alvejado-a mortalmente ao entrarem em luta corporal durante a execução do crime.

Wallyson foi morto dois meses após o latrocínio ao entrar em confronto armado com a polícia depois de ter roubado um outro veículo. As investigações revelaram que Danielle era namorada de Wallyson. O casal teria se unido para a prática de roubo de veículos. Também revelou-se que Wallyson praticava roubos de veículos a mando de Cristiano dos Santos Pereira, o qual se encontrava preso na Penitenciária Odenir Guimarães, em Aparecida de Goiânia.

Cristiano teria determinado que Wallyson praticasse roubos no dia em que George foi morto, inclusive tendo emprestado a ele o veículo usado no crime. Danielle será indiciada por participação no latrocínio e por prática de corrupção de menores. Cristiano permanece preso e será indiciado pelos crimes de roubo e corrupção de menores.