GENARC de Formosa fecha oficina ilegal de armas na cidade. Funcionário foi preso

726
armas
Armas e ferramentas encontradas na oficina

O Grupo Especial de Repressão a Narcóticos (GENARC) de Formosa, no Entorno do Distrito Federal, fechou, no dia 30 de maio, uma oficina ilegal de reparos em armas de fogo na cidade. Na ocasião, um funcionário do estabelecimento foi preso.

De acordo com as investigações, comandadas pelo delegado Vytautas Zumas, no momento da operação, David Calazans da Silva, o proprietário da oficina, havia acabado de sair da residência, onde funcionava o comércio. Ao saber da ação da polícia, não mais retornou, sendo considerado foragido.

No local, estava apenas o funcionário do estabelecimento, Floresmino Calazans da Silva, de 35 anos, preso em flagrante pelo cometimento do crime de comércio ilegal de armas de fogo, nas modalidades montar, desmontar e remontar. Segundo o delegado, no momento da ação, Floresmino negociava o conserto de uma espingarda calibre 22, já tendo, inclusive, combinado o preço para o reparo (R$ 500).

Durante cumprimento de mandado de busca e apreensão na residência do armeiro, a polícia encontrou cerca de 13 armas longas e curtas, montadas e desmontadas, além de diversas munições, inclusive de calibre 45 (de uso restrito).

Floresmino
Floresmino

As investigações do GENARC mostram que David atuava na cidade há muitos anos e nunca foi preso. Ele já teria consertado armas para traficantes e pessoas com outros antecedentes criminais, o que acabava fomentando o crime na região.

Conforme lembra o delegado Vytautas, a atividade de armeiro existe e é regulamentada pelo próprio Estatuto do Desarmamento. David e seu funcionário, no entanto, jamais obtiveram autorização para tal atividade.

Texto: Flávia Guerra – Assessoria de Imprensa da Polícia Civil
Fotos: Polícia Civil / GENARC / Formosa