Gepatri de Itumbiara prende receptadores de metais e apreende mercadoria furtada no valor de R$ 130 mil

620

O Grupo Especial de Repressão a Crimes Contra o Patrimônio (Gepatri) de Itumbiara prendeu dois receptadores na tarde de quinta-feira (24) e manhã desta sexta-feira (25). Os suspeitos adquiriam metais variados, como aços dos tipos inox e carboso, que haviam sido subtraídos de uma destilaria que estava em fase de desmonte e iria ser remontada às margens da rodovia BR-153. Os prejuízos estimados para a empresa são da ordem de R$ 130 mil.

Na primeira ação, parte dos metais furtados foi apreendida na oficina pertencente a Ueder Soares Silva, 38 anos, localizada no Bairro Buriti III, em itumbiara. Assim, ele recebeu voz de prisão e foi autuado pelo crime de receptação qualificada e devidamente recolhido ao presídio.

Na segunda ação os investigadores localizaram o restante do material (tubos e chapas de inox, além de guarda-corpos de aço-carbono) no interior de uma destilaria de álcool em construção localizada às margens da rodovia que liga Itumbiara a Buriti Alegre, próxima da região conhecida como Bom Jardim.

Parte dos metais roubados já havia sido instalada na destilaria em construção e parte ainda aguardava instalação. Essa situação levou os policiais civis a impor voz de prisão ao proprietário da empresa, Ivan Luiz Guerin, 59 anos, também pelo crime de receptação qualificada, visto que adquiriu tais bens no exercício de atividade industrial junto a Ueder sem qualquer tipo de documento que atestasse a origem dos metais.

Foi requisitada perícia no local. De acordo com o delegado responsável pelo caso, Lucas Finholdt, serão necessárias várias viagens de caminhão para transportar quantidade de metal apreendido. Quanto ao crime de receptação qualificada, este prevê pena de reclusão de 3 a 8 anos além de multa. Como o delito não é passível de fiança em sede policial, ambos os detidos passam à disposição do Poder Judiciário.