Polícia Civil: Gerentes de restaurantes são presos em operação da DOT e SEFAZ por não emitirem notas fiscais

356
restaurante
Operação foi realizada em parceria com Sefaz

Uma operação conjunta entre os auditores da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) e da Delegacia de Crimes Contra Ordem Tributária (DOT), realizada no dia 1º de junho, prendeu, em flagrante, três gerentes de restaurantes em Goiânia por crime tributário, cometido com uso irregular de POS (Point of Sale), que são máquinas utilizadas em transações com cartão de crédito.

Além das prisões, foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão. A operação teve como focos restaurantes com indícios de sonegação fiscal. Estabelecimentos investigados podem ter desviado, nos últimos dois anos, cerca de R$ 3 milhões neste esquema fraudulento.

Segundo a Sefaz, a fraude ocorria quando os restaurantes emitiam notas fiscais apenas aos clientes que solicitavam ou quando o estabelecimento emitia o documento em nome de terceiros.

Em entrevista ao Jornal O Hoje, a delegada titular da DOT, Adriana Ribeiro, explicou que este de crime é comum: “São práticas diárias de sonegação. O consumidor deve ficar sempre atento, pois as notas fiscais devem ser, de acordo com a legislação, emitida no nome da empresa e não de terceiros. Qualquer princípio de fraude, o cidadão deve comunicar à polícia”, disse.

Ainda segundo a delegada, os gerentes presos foram encaminhados à DOT e estão à disposição da Justiça. “Essas pessoas estão sujeitas à pena de cinco anos, e o crime é inafiançável”, destacou Adriana Ribeiro, que não não pôde divulgar o nomes dos estabelecimentos envolvidos nos crimes. A delegada informou também que serão realizadas várias operações nesse sentido, em parceria com o fisco goiano, pois outros estabelecimentos de Goiás estão cometendo o mesmo crime.

Foto e texto: Jornal O Hoje