GIH, de Rio Verde, elucida mortes motivadas por desentendimento de quadrilha

454
Samuel e Kelven
Samuel Gonçalves  e Kelven Roncolato Freitas

Um desentendimento por conta da divisão de valores obtidos em um roubo culminou o assassinato de Wister Gomes dos Santos. Ele foi morto com seis tiros disparados por Samuel Gonçalves da Silva, 21 anos, que contou com a participação de Kelvin Roncolato Freitas, também com 21 anos, no crime, ocorrido no dia 17 de setembro do ano passado, em Rio Verde.

Relatou o Delegado Francisco Lipari Filho, Coordenador do Grupo de Investigação de Homicídios (GIH), de Rio Verde, que a as investigações determinaram que a vítima foi atraída para o local do crime por Valterlei Nunes dos Santos, vulgo Keko, para que fosse morto pelos comparsas. Eles haviam se desentendido por causa da visão do lucro conseguido em um roubo realizado numa cidade próxima a Rio Verde e decidiram matar Wister Gomes.

Após três meses da morte de Wister, Valterlei Nunes, que havia levado o comparsa para a morte, também acabou sendo assassinado. O suspeitos negaram a participação no crimes, mas as provas materiais coligidas no Inquérito Policial foram suficientes para que o Poder Judiciário decretasse a Prisão Preventiva de ambos, atendendo à representação feita pelo Delegado Francisco Lipari. Samuel Gonçalves da Silva e Kelven Roncolato já cumprem pena no sistema prisional de Rio Verde. O primeiro por tráfico de drogas e, o segundo, por crimes de roubo, receptação e porte ilegal de arma de fogo.

Texto: Delegado de Polícia Norton Luiz Ferreira – Assessor de Comunicação da Polícia Civil
Foto: Polícia Civil / GIH