GIH/GENARC de Valparaíso prende acusados de homicídio ocorrido em novembro

626
rogerio roney e brayam
Rogério Antônio, Ronei da Silva e Brayan Stive

Policiais civis do Grupo de Investigação de Homicídio/Grupo Especial de Repressão a Narcóticos (GIH/GENARC) de Valparaíso, cumpriram, no dia 4 de dezembro, mandados de prisão e de busca e apreensão em desfavor de Rogério Antônio e de Ronei Silva Martins, acusados pelo homicídio de Roseni Pereira Silva, de 35 anos, e pela tentativa de homicídio de Wanderson Santana de Lima, de 27 anos.

O crime, que teria sido motivado por disputa de pontos de tráfico, aconteceu no 26 de novembro de 2014, no bairro Parque Araruama, Valparaíso de Goiás. De acordo com as investigações, os autores efetuaram diversos disparos de arma de fogo contra as vítimas. Em decorrência dos ferimentos, Roseni morreu no local. Já Wanderson foi socorrido e encaminhado ao Hospital de Santa Maria, no Distrito Federal, onde permanece internado.

Além do mandado cumprido contra ele, Rogério Antônio também foi autuado em flagrante por porte ilegal de arma de fogo e por tráfico de drogas, já que, durante as buscas em sua residência, os policiais encontraram um revólver calibre 38, com seis munições intactas e um tablete de maconha. Ronei da Silva Martins, por sua vez, também foi autuado em flagrante por posse ilegal de munições. Durante as buscas em sua residência, os policiais encontraram 12 munições intactas, calibre 38, que estavam escondidas em buracos nas paredes da sala e do banheiro.

Ainda na residência de Ronei da Silva, os policiais também prenderam Brayan Stive Kiyomura de Sousa pelos crimes de tráfico de drogas e posse ilegal de arma de fogo. Embaixo da cama dele, os policiais localizaram um revólver calibre 38, municiado com cinco projéteis, além de substâncias entorpecentes. Segundo o delegado responsável pelo caso, Eduardo Gomes Junior, Brayam já vinha sendo investigado por tráfico de drogas. Ele é filho do suspeito Rogério Antônio, comparsa de Ronei da Silva.

Ainda de acordo com o delegado, os policiais chegaram aos suspeitos, logo após de estes ameaçarem a vítima sobrevivente, Wanderson Santana de Lima, no Hospital de Santa Maria, no DF.

Texto: Assessoria de Imprensa da Polícia Civil
Foto: Polícia Civil