Preso homem que matou e enterrou corpo da companheira de 42 anos, em Caldas Novas

378
unnamed
José Martins de Souza

O eletricista José Martins de Souza, de 49 anos, foi preso na segunda-feira (2) após confessar que matou e enterrou a mulher, de 42, em Caldas Novas, região sul de Goiás. Segundo a Polícia Civil, a vítima foi esganada após uma discussão entre o casal, que vivia junto há 13 anos. O marido contou à polícia que, após o crime, pegou a moto da companheira e levou o corpo para um terreno baldio, onde o enterrou.

De acordo com a delegada Sabrina Leles Miranda, responsável pelo caso, o crime ocorreu na noite de sábado (1º). “O filho da vítima disse que a mãe ligou para ele chorando neste dia e que o rapaz ouviu gritos dela e do padrasto. Depois, o telefone ficou mudo e ele só ouviu latidos de cachorros. Como o jovem estava cuidando do filho pequeno, sua esposa foi até a residência da sogra para saber o que havia ocorrido”, afirmou ao G1.

À nora, o eletricista disse que a mulher havia pegado uma quantia em dinheiro na sua carteira e fugiu de casa. A família da mulher começou a procurar por ela e, como não a encontrou, foi até a delegacia na manhã de domingo (1º) para registrar uma ocorrência de desaparecimento.

A Polícia Civil também foi até o local onde o casal morava e percebeu que o José Martins estava fornecendo informações contraditórias. Ele foi levado para a delegacia e acabou confessando o crime durante interrogatório.

Após isso, o homem levou a polícia até o local onde havia enterrado a companheira. “A vítima foi despida e enterrada nua. O autor acreditava que o corpo demoraria a ser encontrado e que desta forma o reconhecimento dele seria dificultado”, explica a delegada. As roupas dele e dela foram encontradas em um matagal próximo ao terreno. O intuito era eliminar possíveis provas.

Local onde a mulher foi enterrada pelo próprio marido
Local onde a mulher foi enterrada

O eletricista está preso na Delegacia de Caldas Novas e deve ser transferido para o presídio municipal ainda nesta noite. Conforme a delegada, ele foi preso em flagrante por ocultação de cadáver e responderá pelo crime de homicídio qualificado. Se condenado, pode pegar até 30 anos de cadeia.

Fonte: G1/GO
Texto: Sílvio Túlio