DPCA de Luziânia prende idoso de 72 anos por estupro de vulnerável e exploração sexual

340

Suspeito, morador de Brasília/DF, se deslocava até Luziânia, onde aliciava meninas de 9 a 15 anos de idade

idoso luzianiaO idoso W.F.A., de 72 anos, foi preso no dia 8 de agosto, em Brasília/DF, pela Polícia Civil de Luziânia, durante a Operação Imperador, em cumprimento a mandado de prisão temporária e de busca e apreensão. Ele é suspeito de aliciar menores de 9 a 15 anos de idade, contra quem estaria praticando os crimes de estupro a vulnerável e exploração sexual.

De acordo com as investigações, coordenadas pela Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) de Luziânia, o idoso, apesar de residir na capital federal, se deslocava até o município goiano para praticar os crimes. As apurações tiveram início depois que um pai procurou a delegacia após a filha chegar em casa com um smarthphone, alegando ter recebido o presente de um senhor.

Durante as investigações, a Polícia Civil descobriu que o homem levava as vítimas a motéis de Luziânia e, nos estabelecimentos, oferecia de R$ 50 a R$ 200 para as crianças e adolescentes praticarem conjunção carnal ou permitirem que ele praticasse atos libidinosos com elas, entre eles carícias nos seios e partes íntimas. Restou apurado que ele chegou a levar mais de uma menina por vez e que tinha preferência por meninas mais novas e virgens.

Numa das ocasiões, uma das vítimas foi colocada dentro do carro do investigado, sob o pretexto que ele pagaria um curso para profissionalizante a ela. Noutro crime apurado, a mãe de duas vítimas tinha conhecimento da exploração sexual e dos estupros praticados contra as filhas. Mesmo tendo o dever legal de evitar tais condutas, a mãe se omitiu e passou a ser conivente com os crimes.

Conforme o delegado Daniel Marcelino, responsável pelas investigações, a referida mãe alegou à polícia que recebeu dinheiro das filhas e utilizou o valor recebido para efetuar pagamentos de contas da família. Por esse motivo, ela também deverá responder criminalmente pela conduta. As próprias crianças e adolescentes, vítimas dos crimes, registraram outros deslocamentos do suspeito para motéis da região. As investigações prosseguem, a fim de identificar outras vítimas.