Em Inhumas, empresários e secretário municipal são indiciados por crime ambiental

637

Logo PCFoi remetido ao Poder Judiciário de Inhumas, no dia 22 de outubro, o inquérito policial que culminou no indiciamento dos empresários Oliveira Pimenta Mendonça, Elias Batista Cardoso, do secretário de Agricultura e Meio Ambiente do Município de Inhumas, Reaner Lopes Vila Verde, e da pessoa jurídica Meia Ponte Alimentos, por crimes ambientais.

Segundo o delegado Humberto Teófilo, a investigação teve início no dia 7 de outubro de 2013, quando o empresário Elias Batista Cardoso foi preso em flagrante pelo crime de corrupção ativa, ao oferecer a policiais militares do Batalhão Ambiental uma quantia de R$ 2 mil para “fazer vistas grossas à fiscalização” do Frigorífico Vale do Cedro.

A partir dessa prisão, a investigação esclareceu que, desde o início de 2013, na Rodovia GO-070, Km 45, Zona Rural de Inhumas, os indiciados Elias Batista Cardoso, Oliveira Pimenta Mendonça e a pessoa jurídica Meia Ponte Alimentos estariam provocando, pela emissão de efluentes e carreamento de materiais, a morte da fauna aquática do Rio Meia Ponte.

O Secretário Municipal de Agricultura e Meio Ambiente, Reaner Lopes Vila Verde, conforme os autos, teria cometido prevaricação, ao deixar de cumprir obrigação de relevante interesse ambiental. O auxiliar deixou de aplicar qualquer sanção administrativa em desfavor do frigorífico, que não possui licença ambiental para funcionamento.

O delegado Humberto Teófilo oficiou o Ministério Público na área do Patrimônio Público e Meio Ambiente para conhecimento dos danos provocados pelo abatedouro.

Texto: Assessoria de Imprensa da Polícia Civil