Delegada Lúcia Aparecida Silvestre tem sua história no livro Mulheres de Delegacia

770
Lúcia Aparecida de Oliveira Silvestre

 Em tudo que consegui na minha carreira tive preciosas colaborações, que sempre agradeço

Sou Lúcia Aparecida de Oliveira Silvestre, Delegada da 6ª Delegacia Regional de Polícia,  mãe de dois filhos e a espera de ser avó. Passei no Concurso em março de 1991. Fui lotada no 1º Distrito de Catalão. As dificuldades, foram aqueles que caracterizam   toda principiante  diante de fatos novos e que então totalmente desconhecidos.
Tive auxílio de várias pessoas, entre elas,  o Dr Edno Luciano Barbosa, à época  Delegado Regional. O Policial Militar (escrivão ad hoc) Luiz Fernando Franz, que detinha um grande conhecimento das práticas policiais e me ensinava como se estivesse sugerindo, foi meu grande e gentil professor,  e Maria Marly Dias Naves, que era escrivã, pessoa de Catalão,  quem me mostrou a cidade e sua população, cooperando para minha integração naquela comunidade. Minha amiga  irmã.

Eram tempos de recursos escassos, mas isto nunca foi empecilho para que o trabalho fosse realizado. Quando cheguei o  1º Distrito,  nem tinha sala, com o tempo tudo foi se arrumando. Era a época das máquinas de escrever. E era máquina estragando, fita arrebentando e error ex, desmanchando, e todos nós, toda minha equipe, trabalhando, com garra, não medindo esforços para atender as necessidades daquela comunidade.

 Foi preciso mostrar serviço para que a população, principalmente os mais idosos, entendessem que uma mulher delegada pode ser competente e empreendedora. Pelo trabalho consegui o respeito da população. Nos quase 12 anos na cidade, foram lutas e labutas. Foi nesta época que me firmei como profissional. Em Agosto de 2003, fui transferida para Itumbiara, onde ainda permaneço. Os primeiros tempos foram difíceis, pois tirar pessoas de sua área de conforto gera conflitos. Havia toda sorte de problemas na no trabalho policial  e na cidade. Ameaças eu recebia todos os dias, mas com auxílio dos meus colegas, Ana Claudia Stoffel, Ricardo Torres Chueire e Fabricio Madruga, bem como dos agentes e escrivães que realmente vestiam a camisa da Polícia Civil, conseguimos resgatar o respeito à nossa Instituição.

Sou uma pessoa profissionalmente realizada, deixei amigos por onde passei e se inimigos existirem os fiz pelo bem da Polícia Civil. Em tudo que consegui na minha carreira tive preciosas colaborações, que sempre agradeço. Menciono também o apoio irrestrito de meus familiares e o Poder de Deus ao meu lado sem o qual nada teria conseguido.

OBS: Quando forneceu informações sobre sua biografia policial para o Livro Mulheres de Delegacia, a Delegada de Polícia Lúcia Aparecida de Oliveira Silvestre respondia pela 6ª Delegacia Regional de Polícia (DRP), de Itumbiara. Atulamente, Lúcia Silvestre é Gerente de Planejamento Operacional da Polícia Civil, em Goiânia., para onde foi transferida atendendo convite feito pela Delegada Geral da Polícia Civil, Adriana Accorsi