Assassino de morador de rua é preso pela Polícia Civil. Crime foi motivado por tráfico de drogas

414

A Polícia Civil (PC) apresentou na manhã de ontem (26.04), mais um suspeito de assassinato a morador de rua em Goiânia. Rhuan Carlos Ferreira do Nascimento, de 23 anos, foi detido no dia 17 abril, mas a PC manteve a prisão em sigilo para não atrapalhar as investigações. Ele teria assassinado, na noite do dia 7 de fevereiro, Vital Ribeiro Soares Júnior, 32, atingido por cinco disparos de um revólver calibre 32 – alguns dos tiros alvejaram a vítima nas costas.

O crime ocorreu em frente aos Correios, no Setor Coimbra, na Rua 231. Vital foi a 20ª pessoa em situação de rua, desde agosto de 2012, a ser morta na capital – até então, o número de vítimas chegou a 30 na região metropolitana.

Após ser preso, Rhuan confessou ser o autor do homicídio, porém afirmou à Polícia Civil que agiu sozinho, contrariando a versão de duas testemunhas, que, em depoimento à PC, esclareceram que dois homens, em uma motocicleta, se aproximaram de Vital e um deles disparou contra a vítima.

Em versão dada aos  policiais civis, o detido contou que estaria comendo um churrasquinho nas proximidades do local do crime, e teria visto Vital. Segundo Rhuan, o morador de rua havia roubado dele uma bicicleta e o ameaçava constantemente. Ainda no depoimento, o suspeito alegou que foi tirar satisfação com a vítima, Vital estaria armado com um facão e, em legítima defesa, Rhuan teria disparado contra ele. Rhuan contou que vendeu a arma do crime na “Feira da Marreta”.

O delegado titular da Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios (DIH), Murilo Polati Rechinelli, explicou que não foi encontrada nenhuma arma branca onde ocorreu o crime, como o facão, por exemplo. Ele completou que os tiros nas costas são evidências de que não houve, na circunstância, tentativa de defesa por parte do autor dos disparos. Vital Ribeiro Soares Júnior seria um pequeno traficante de drogas e, segundo indícios policiais, foi morto devido a dívida por tráfico que teria com Rhuan.

O delegado informou que não há imagens do crime e que Rhuan também pode estar envolvido em outros dois crimes, um deles ocorrido também no Setor Coimbra, na Rua R-1, próximo ao Hospital Materno Infantil, do qual há registro de imagens feitas por circuito de TV do assassinato de Marcos Aurélio Nunes da Cruz, no dia 5 de novembro do ano passado.

É aguardado o laudo que pode confirmar a presença de Rhuan na cena do crime (laudo prosopográfico). O exame consiste em comparar cientificamente a descrição física do suspeito e também o comportamento corporal, como o jeito de andar. Outro crime com possível envolvimento de Rhuan ocorreu na Rua Minas Gerais, em Campinas, no dia 12 de dezembro de 2012, contra Michel Luiz Ferreira da Silva.

O delito também foi registrado em imagens. As três vítimas, Vital, Marcos e Michel, foram mortas a tiros. Além de relação com os três homicídios a pessoas em situação de rua, Rhuan Carlos Ferreira é investigado por uma tentativa de assassinato e teria sido reconhecido pela vítima. O crime de tráfico de drogas também está sob investigação.

A apresentação à imprensa foi realizada somente ontem, nove dias após a prisão, para resguardar as investigações. A Polícia Civil está atrás do segundo participante na morte de Vital Ribeiro Soares Júnior, apesar de Rhuan afirmar que agiu sozinho. Ao todo, oito casos dos 30 homicídios não possuem indícios de autoria. Do total, 12 inquéritos já foram concluídos e remetidos ao Poder Judiciário, sobrando 10 inquéritos em aberto que já possuem autores apontados. O detido ontem ()26.04) se junta ao grupo de outros dois suspeitos que podem ter cometido mais de um homicídio, todos já presos pela PC, além de um menor de 18 anos, que segue apreendido. Os outros dois seriam o policial militar Rogério Moreira da Silva, conhecido como Zinca, e Murilo Damasceno dos Santos, detido no último dia 17 deste mês.

Fonte: O Hoje
Texto: Mário Braz
Ilustração: Google