Médicos do Cais são indiciados por homicídio culposo em Inhumas

999
IMG-20151221-WA0080
Delegado Humberto Teófilo

O Delegado Humberto Teófilo de Menezes Neto, titular da Delegacia de Polícia de Inhumas, indiciou três médicos do Cais local pela morte do engenheiro do trabalho Rafael Galdino Júnior, 30 anos. Em março deste ano, a vítima sofreu uma queda no banheiro de uma boate e fraturou a cabeça. Levado ao Cais de Inhumas, Galdino Junior foi atendido pelos médicos Rafael Silva Rosa Teles, Antônio Carlos Aguiar Teixeira Junior e Ana Beatriz Diniz Batista de Aguiar Teixeira, que não diagnosticaram o problema.

De acordo com Humberto Neto, após mais de quatro horas no Cais, o quadro clínico do paciente piorou consideravelmente e foi preciso encaminhá-lo para Goiânia, onde ele passou por cirurgia, mas acabou morrendo seis dias depois. “A demora no diagnóstico no Cais de Inhumas foi determinante para a piora da lesão sofrida pela vítima, o que, no meu entendimento, configurou uma conduta negligente por parte da equipe médica, caracterizando o homicídio culposo”, destacou o delegado.