Menor suspeito de matar PM em Cristalina é apreendido no DF pela Polícia Civil de Goiás

531
menor cristalina2
Menor tem palhaço tatuado na perna

Policiais civis de Cristalina cumpriram, no dia 29 de janeiro de 2015, mandado de busca e apreensão e internação provisória, em desfavor do menor J.D.P.X, de 15 anos, pela prática do ato infracional análogo ao crime de homicídio qualificado, contra a vítima Adail Veras Guimarães, subtenente da reserva da Polícia Militar de Goiás, ocorrido no dia 05 de janeiro de 2015, naquele município.

As apurações preliminares indicam que o adolescente, acompanhado de outra pessoa, até então desconhecida, tinha a intenção de subtrair dinheiro do supermercado “Qualitá”, em Cristalina. Entretanto, ao se depararem com o policial militar realizando a vigilância do estabelecimento, resolveram subtrair a arma dele. Para tanto, desferiram covardemente de sete a 10 tiros contra as costas do policial.

Após o homicídio, os autores desistiram de subtrair o dinheiro do estabelecimento e tomaram rumo ignorado. A arma do policial militar, uma pistola .40, foi levada pelos meliantes.

Um dia antes do cumprimento do mandado de internação, em 28 de janeiro, o menor J.D.P.X havia sido apreendido pela Polícia Militar do Distrito Federal, em uma região conhecida como Núcleo Rural Café Sem Troco, em São Sebastião/DF, juntamente com outra menor de idade. Na ocasião, ele estava portando um revólver calibre 38. Já a adolescente que o acompanhava portava uma pistola .40, semelhante à subtraída do policial militar, que não foi encontrada.

Em razão das disposições do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e por desconhecer o fato ocorrido em Cristalina, a justiça do Distrito Federal entendeu pela liberação dos menores. No entanto, o delegado Igor Carvalho, um dia após o homicídio do policial, já havia representado pela internação de J.D.P.X, que fora deferido pelo Poder Judiciário goiano. Desse modo, antes da liberação do menor, o delegado de Cristalina fez contato com a justiça do DF e os policiais civis de Cristalina foram buscá-lo.

J.D.P.X possui uma tatuagem de palhaço na perna direita que, na linguagem do crime, significa matador de policial. O menor também é investigado pelo homicídio praticado contra C.R.N, sua ex-namorada, que estava grávida na ocasião. Esta última apuração ainda se encontra em andamento.

Texto: Assessoria de Imprensa da Polícia Civil
Foto: Polícia Civil / Cristalina