Polícia Civil prende Professor por aliciamento de alunos e pedofilia em Piracanjuba

1029
Professor Bruno Rafael: Aliciava alunos menores
Professor Bruno Rafael: Aliciava alunos menores

Policiais Civis de Piracanjuba, município localizado a 86 km de Goiânia, prenderam no início da noite, de sexta-feira, dia 25, um professor da rede estadual de ensino, Bruno Rafael dos Santos Mota, suspeito de aliciamento de menores, estupro de vulnerável e envolvimento com drogas. De acordo com o Delegado Vicente de Paulo Silva e Olvieira, Titular da Delegacia de Polícia de Piracanjuba e responsável pelas investigações, o docente chantageava os estudantes, todos menores de 18 anos, dizendo que se não mantivessem relações sexuais com ele daria notas abaixo da média e até os reprovaria.

As investigações apontaram que o professor oferecia bebidas e drogas às vítimas para que elas não conseguissem reagir aos abusos. Os crimes eram praticados na casa do suspeito, onde os Policiais Civis apreenderam um computador com vídeos eróticos, câmera fotográfica, uma filmadora e diários do homem. Os policiais também encontraram no celular do professor fotos do suspeito junto com os menores que teriam sido abusados por ele. As vitimas eram levadas, vez ou outra também, para a casa da tia de Bruno Rafael, mediante ameaças de perseguição.

Objetos apreendidos na casa do professor e da sua tia
Objetos apreendidos na casa do professor e da sua tia

As investigações da Polícia Civil, que duraram dois meses, indicaram também que as vítimas eram dopadas com bebidas e drogas durante festinhas programadas para que não oferecessem resistência. O professor já estava respondendo a um processo administrativo da Secretaria Estadual de Educação por condutas inadequadas e será pela Polícia Civil indiciado por tráfico de entorpecentes, aliciamento de menores e estupro de vulnerável, entre outros crimes por ele praticados.

O professor está preso temporariamente na Delegacia de Polícia de Piracanjuba. As vítimas do professor Bruno Rafael, disse o Delegado Vicente de Paulo, teriam entre 14 e 17 anos e eram, em sua grande maioria, do sexo masculino. Na residência de Bruno foram apreendidos, além do computador e do telefone celular, modelo iphone, aproximadamente vinte mídias do tipo DVD com conteúdo erótico, câmera fotográfica e filmadora digital, sistema de iluminação para pequenas festas, cinco diários com anotações e um equipamento do tipo narguille, utilizado para o consumo de cigarro e outras drogas.

No celular do professor Bruno Rafael foram encontradas fotografias em trajes de banho e outras vestes impróprias, juntamente com pessoas que pela compleição física e aspecto fisionômico aparentam ser menores. Além disso há um vídeo em que um homem, possivelmente Bruno, aparece em cenas de sexo tórridas e explícitas junto a uma pessoa do sexo feminino, que pela compleição física, provavelmente seja uma menor.

Na residência da tia de Bruno, local também utilizado para festas regadas a bebidas e drogas juntamente com os alunos aliciados pelo professor, foram apreendidos dois computadores, duas cartelas de estimulante sexual do tipo Viagra, um vibrador, um tubo de lubrificante íntimo, além de cerca de cinquenta mídias do tipo DVD, cujo conteúdo encontra-se em apuração. Disse o Delegado Vicente de Paulo que Bruno Rafael ainda fazia ameaças de reprovação e notas baixas às vítimas para que não o denunciassem à polícia e ao Conselho Tutelar, usufruindo da sua condição de professor.

Texto: Delegado de Polícia Norton Luiz Ferreira – Assessor de Comunicação da Polícia Civil
Fotos: Polícia Civil