Operação 197: GIH de Rio Verde cumpre mandados e prende 12 suspeitos ao longo de 40 dias

762

brasaoO Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) de Rio Verde, no sudoeste goiano, realizou, entre os dias 1º de agosto de 2014 e 10 de setembro de 2014, a Operação 197, que investigou homicídios dolosos e tentativas de homicídios.

No período, foram realizadas 12 prisões preventivas e temporárias, relativas a crimes ocorridos em 2012 e 2014. Ao todo, cinco armas de fogo foram apreendidas. A ação foi coordenada pelos delegados Francisco Lipari Filho e Francisco José da Costa Júnior.

Esmeraldo Henrique da Silva Almeida foi preso temporariamente suspeito do homicídio de Wellington Ribeiro Medrado, morto a tiros no dia 26 de julho de 2014. A polícia apurou que a vítima era usuária de drogas e que, provavelmente, estaria no local do crime, no Posto Horizonte, Bairro Alvorada, fazendo uso de entorpecente. Esmeraldo, que já tem passagem por tráfico, e outros dois elementos teriam chegado e atirado em Wellington.

Walefi da Silva Barbosa e seu tio, Leandro Vieira Fonseca, foram presos preventivamente pelo homicídio de Odair de Freitas França, ocorrido no dia 08 de julho de 2014. De acordo com as investigações, a vítima teria discutido com Walefi, que procurou o tio para irem atrás de Odair, morto por arma de fogo. OS suspeitos não possuem antecedente criminais, mas confessaram o crime.

Fernando Martins Garcia foi preso preventivamente pelo homicídio de Maciel Gomes Menezes, vulgo “Ratão”, e pela tentativa de homicídio de Maria José Rosa Lima, crimes ocorridos em 25 de junho do corrente ano, no Bairro Lindolfina. Fernando possui antecedentes criminais por tráfico de drogas.

Fernando Alves Costa também foi preso temporariamente pelo assassinato de Orcalino Pereira da Silva, morto no dia 29 de agosto de 2012, na Fazenda São Tomaz Douradinho, Zona Rural de Rio Verde. A polícia apurou que Fernando morava perto da fazenda, onde Orcalino trabalhava na colheita de milho. No dia do crime, eles teriam combinado de caçar animais silvestres, mas Orcalino nunca mais foi visto. o que indica ocultação de cadáver.

Segundo as investigações, Fernando já teria tentado matar Orcalino a golpes de faca, seis meses antes, após saber que o mesmo havia delatado o caso do suspeito com uma mulher casada ao marido da amante. Ao ser preso, Fernando portava uma arma de fogo. O mesmo não possui antecedentes criminais e negou a prática do crime.

Durante a operação, foi preso ainda Cairo Sousa Barros, pela tentativa de homicídio praticada em fevereiro deste ano, contra Amarildo Nunes Borges Junior. De acordo com as investigações, o crime teria motivação passional ou relação com o tráfico de drogas. Cairo já havia sido preso em Serranópolis, por embriaguez ao volante.

gih

Ricardo Teixeira Alves, vulgo Ricardinho, Samir Soares Rodrigues, vulgo Galo, e Marcio Henrique Cardoso do Vale, vulgo Tute, foram presos pela tentativa de homicídio ocorrida no dia 24 de março do corrente ano, vitimando Edemilton Furquim de Oliveira Filho e Hernane Cardoso de Araújo. O grupo teria disparado várias vezes contra as vítimas, que correram e se esconderam num supermercado.

Lorraine Silva Rodrigues foi presa por tentativa de homicídio ocorrida em maio de 2014, contra Tais Gomes Rodrigues, atingida por golpes de faca na região do abdome. O crime teria sido motivado por ciúmes, tendo em vista que a vítima, Tais, é ex-amasia do atual companheiro de Lorraine. O delito ocorreu na frente do filho da vítima, que possui apenas seis anos de idade.

Ericles Ruller Silva Bonfim foi preso pela tentativa de homicídio de Joseph Aparecido Pereira da Silva, ocorrida em maio de 2014. O autor teria agido com o auxílio de dois adolescentes. Juntos, eles efetuaram cerca de 10 disparos contra a vítima, que foi atingida por dois tiros, mas sobreviveu. A motivação do crime estaria relacionada ao tráfico de drogas.

Ainda durante a Operação 197, a Polícia Civil prendeu Kemerson Virgens dos Santos, vulgo Caçula, pela tentativa de homicídio contra Lucas Ferreira Lima, Jasonn Franklin Silva Ferreira, Luiz Carlos Adriano Cordeiro e Patrick Oliveira Sousa. Kemerson teria efetuado disparos contra o grupo, atingindo Jasonn e Luis Carlos, que sobreviveram. O crime estaria ligado ao tráfico de drogas.

Texto: Assessoria de Imprensa da Polícia Civil