Operação Apolo: Polícia Civil prende suspeitos de fraudar contas de energia elétrica

59

A Polícia Civil, por meio do Grupo de Repressão a Estelionato e Outras Fraudes (GREF), da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (DEIC), realizou nesta quinta-feira (5) uma operação contra suspeitos de fraudar contas de energia elétrica em Goiânia, Aparecida de Goiânia, Nerópolis e Anápolis, gerando prejuízos mensais de até R$ 200 mil. O esquema contava com ajuda de funcionários da Enel.

De acordo com as investigações, que duraram cinco meses, pessoas (físicas e jurídicas) com dívida junto à empresa de energia transferiam (usando funcionários da empresa) a titularidade da unidade consumidora (e por consequência, da dívida) para terceiros já falecidos. Após algum tempo, a titularidade era devolvida para o real proprietário, entretanto, a dívida continua vinculada ao CPF desse terceiro. A operação também mirou crimes de furto de energia elétrica.

Segundo o delegado Ivaldo Mendonça, coordenador da Operação Apolo, no período das investigações, foram identificadas 44 pessoas envolvidas com o esquema fraudulento, entre os quais estão funcionários da empresa, técnicos, captadores de clientes, coordenador da atividade ilícita e beneficiados pela extinção do débito. Ao todo, os 110 policiais envolvidos na ação cumpriram 18 mandados de Prisão Temporária e 18 mandados de Busca e Apreensão.