Polícia Civil prende envolvidos em assaltos à fábrica de refrigerantes e tráfico de drogas

1092
Presos durante a Operação Coca Cola

 Após meses de investigações, a Polícia Civil deflagrou na última quinta-feira (21), em Uruaçu, a Operação Coca Cola, uma referência aos vários assaltos ocorridos à distribuidora da marca de refrigerantes estabelecida naquele município. A operação, realizada  com o objetivo de desarticular uma quadrilha especializada em assaltos e tráfico de drogas, contou com 53 Policiais Civis, entre Agentes e Delegados.

A Operação Coca Cola resultou na prisão de 11 integrantes de uma mesma quadrilha, a maioria jovens de classe média, filhos de pessoas conhecidas da cidade. Outros três integrantes também foram identificados pela Polícia Civil, mas estão foragidos. Dois dos acusados, dos quais um foi preso e o outro encontra-se foragido,  são ex-funcionários da Coca Cola.


Durante a operação foram presos, por força de Mandados de Prisão, Regimar Ramalho, 35 anos; Antônio do Nascimento Rocha Júnior, 27 anos (ex-funcionário da Coca Cola); José Roberto Gonçalves Perícoli, 19 anos; Márcio Silva Ribeiro, 18 anos; Rafael Pereira Gomes, 22 anos e Renato da Silva dos Santos, 23 anos. Por força de Mandados de Prisão e também por autuação em flagrante por tráfico de drogas foram presos; Eduardo Cândido de Oliveira, 20 anos, e Rone Paulo Barbosa Rodrigues, 20 anos. Foi autuado e flagrante por posse ilegal de arma de fogo Ronivon Barbosa da Silva, 32 anos. Já a preensão do menor L. B. B., 17 anos, foi fruto do cumprimento de um Mandado de Internação Provisória. Estão foragidos;  Westiley Borges, 24 anos; Lucas Fernando Ferreira Arantes, 18 anos; Kássio Siqueira, 23 anos (ex-funcionário da Coca Cola), e Lucian Ferreira Rocha, 24 anos.

Vereador é enquadrado por contravenção

Embora não tenha nenhum envolvimento com a quadrilha desarticulada, o vereador de Uruaçu, Luciano Araújo Rocha, conhecido na cidade como Luciano Tucano, 55 anos, também acabou detido durante a operação Coca Cola. Os Policiais Civis foram à casa do vereador em busca do filho dele, Lucian Rocha, que ainda está foragido, mas acabaram encontrando uma máquina de jogo de azar. Luciano Tucano foi autuado por contravenção penal e liberado após pagar fiança. “A questão do vereador da cidade não tem nada a ver com os assaltos. A Polícia Civil  foi lá para cumprir mandado que não era em desfavor da pessoa do vereador,  mas o mesmo acabou detido por causa da máquina de jogod e azar encontrada no local.  O vereador não era alvo da ação da Polícia Civil, ele foi enquadrado em contravenção por causa dos jogos de azar, pagou fiança e foi liberado”, esclareceu a delegada Mariza Cesar.

Fonte: http://jornalcorreiopopular.com.br