Operação da Decon estoura laboratórios de medicamentos clandestinos

322

WhatsApp-Image-20160613A Operação Ilusão Fatal, deflagrada pela Delegacia de Repressão a Crimes Contra o Consumidor (Decon), em parceria com a Vigilância Sanitária, nesta segunda-feira (13), estourou dois laboratórios responsáveis pela fabricação de medicamentos clandestinos. Paulo Sérgio da Silva, responsável fático por ambos os locais inspecionados, será responsabilizado em inquérito policial por adulteração de produtos destinados a fins terapêuticos ou medicinais.

Segundo o delegado Webert Leonardo, titular da especializada, a pena para esse tipo de crime pode chegar a 15 anos de reclusão. Os laboratórios funcionavam no Parque Oeste Industrial e no Centro de Goiânia. Aproximadamente meia tonelada de máquinas, matérias primas para manipulação de medicamentos estéticos (fitoterápicos), rótulos, lacres e documentos, foram apreendidos.

No estabelecimento localizado na região oeste de Goiânia, foram localizados dezenas de pacotes e caixas contendo substâncias diversas aparentemente fitoterápicas. Milhares de cápsulas vazias foram apreendidas e outras centenas já estavam preparadas com substâncias diversas prontas para o comércio. Produtos como farinha de trigo e talco eram usados para preencher as cápsulas. No local, também foram achados comprovantes de depósitos de clientes.

O segundo alvo da operação, denominado Comércio de Produtos Naturais “Clorophila”, não possuía Alvará Sanitário. Vários produtos estavam vencidos e mal acondicionados. Assim como no primeiro estabelecimento, o local abrigava um laboratório irregular destinado ao preparo de substâncias e acondicionamento em cápsulas.